Cetel se encontra na sede da CNBB para dar continuidade à revisão do Missal Romano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Comissão Episcopal de Textos Litúrgicos (Cetel) da CNBB iniciou, na terça-feira (3), após a aprovação pela Assembleia Geral dos Bispos, ocorrida em maio, a tradução da terceira edição do Missal Romano. O objetivo, segundo o presidente da Comissão, dom Edmar Peron, é que os membros façam agora uma revisão geral em vista de uma edição provisória. “Como todas as partes já foram apresentadas às Assembleia Gerais ao longo desta década, o que estamos fazendo aqui é um repassar dessa tradução”, conta.

Usado no rito romano para a celebração da Missa, o novo missal constitui mais uma prova de solicitude da Igreja e da sua tradição contínua e coerente. A tradução da terceira edição, trabalho que já vem sendo realizado pela Cetel há 12 anos, atende a uma ordem vinda da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos através da quinta instrução Liturgiam Authenticam, de 2001, que serve de comentário sobre as traduções em língua vernáculo dos textos da liturgia romana.

Dom Aloísio Alberto Dilli, bispo de Santa Cruz do Sul e membro da Cetel, disse que a reunião precisou ser convocada pois alguns detalhes do missal precisaram ser retomados. “Estamos, por exemplo, vendo os textos que já foram traduzidos na nova Bíblia da CNBB. Esses textos precisam entrar no Missal Romano e para isso eles precisam ser adaptados, pois nem sempre dá para pegar exatamente a frase como ela está lá e colocar dentro do Missal, dentro da liturgia”, garantiu.

Dom Dilli afirmou, ainda, que ao longo da revisão o grupo também percebeu a necessidade de traduzir as alternativas de bênçãos para as diversas celebrações durante o ano litúrgico e que, por isso, a Cetel vai dar continuidade ao trabalho. “De fato, é um longo trabalho e por vezes a equipe foi se renovando e mudando um pouco a metodologia de trabalho, mas desde que eu participo nós temos praticamente três orientações principais para a tradução”, conta.

A primeira orientação citada pelo bispo é a de que o texto seja fiel ao original em latim. Em segundo lugar, a de que seja compreensível por todos e, em terceiro lugar, que ele tenha uma linguagem fluente. “Portanto, veja o quanto é importante o missal em relação à forma litúrgica de rezar do povo brasileiro”, finalizou dom Dilli. A próxima reunião da Cetel deverá ocorrer em novembro deste ano.

*Fonte: Site da CNBB

Veja Também

Contatos

Fale com a Arquidiocese

Cúria Metropolitana de Juiz de Fora

Tel: (32) 3229-5450

E-mail

Endereço

Av. Barão do Rio Branco, 4516
Alto dos Passos, Juiz de Fora – MG
CEP: 36026-500

Atendimento

Assessoria de Comunicação

8h às 17h

Arquivo Arquidiocesano

Atend. Interno – 8h30 às 16h30
Atend. Externo – 13h30 às 16h30

Folha Missionária

8h às 13h

Jurídico

8h ‪às 12h‬ e de 13h ‪às 17h

Tesouraria

8h às 11h30 e de 13h às 16h

Tribunal Eclesiástico

13h às 17h

Cadastre-se aqui para receber novidades e atualizações da Arquidiocese

© Copyright Arquidiocese de Juiz de Fora. Feito com por