Centro de microprojetos em Damasco dá esperança aos cristãos da Síria

Foto: Site da Fundação AIS - ACN Portugal
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O Centro Cristão da Esperança (Christian Hope Center), organização síria apoiada pela Igreja Católica, inaugurou o seu primeiro centro de apoio a microprojetos na capital síria. O programa foi lançado oficialmente no dia 22 de julho e será o único centro de microprojetos no histórico bairro cristão de Damasco.

O objetivo do programa é disponibilizar fundos para que as famílias possam iniciar novos negócios ou reiniciar projetos interrompidos durante a década da guerra na Síria. O centro funciona sob a direção espiritual do bispo latino da Síria, Dom Georges Abou Khazen.

A sede deste programa está em Bab Touma, no histórico bairro cristão de Damasco, em frente à Catedral Católica Melquita de Nossa Senhora da Dormição. É lá que os funcionários e voluntários avaliam os pedidos e concedem ajudas para o reinício dos negócios, geralmente sob forma de equipamento ou formação.

Situação no país

Com o agravar da crise econômica na Síria, muitos cristãos dizem que a situação atual é pior do que o que passaram durante os anos de guerra. Cerca de 90% da população síria vive atualmente abaixo da linha da pobreza.

A Igreja presta sua solidariedade. As paróquias ajudam com alimentos, com o aluguel da casa e subsídios nas despesas com a educação. Embora gratos com a ajuda de emergência, muitos cristãos afirmam que também desejam maior estabilidade no emprego para poderem sustentar suas famílias.

Muitas famílias cristãs são obrigadas a emigrar para o Ocidente em busca de melhores condições de vida. Atualmente, mais de 90% da população da Síria é muçulmana. Há 100 anos, os cristãos representavam cerca de 30% da população. Particularmente a cidade de Damasco tem uma importância especial por ter dado origem a uma das primeiras comunidades cristãs.

Testemunhos de transformação

Carla Audo, que trabalha para o Centro Cristão da Esperança, agradeceu aos benfeitores da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) pelo apoio que estão dando ao programa. “Podemos ajudar as famílias a recomeçar, damos-lhes um motivo para ficar e uma oportunidade para construir o seu país. Só quero agradecer aos colaboradores da AIS o apoio e a inspiração constante”.

Os responsáveis pelo Centro esperam repetir na capital o mesmo sucesso alcançado em seus projetos anteriores em Alepo e Homs, que tiveram uma taxa de sucesso de 78%.

Joohnny Sayegh é um jovem cristão de 25 anos que teve a ajuda do Centro Cristão da Esperança.  Em 2013, o seu pai foi raptado e morto por um grupo militante sírio, deixando a sua mãe e dois irmãos sem uma fonte estável de rendimento. Nascido cego de um olho e incapacitado após um acidente laboral, as suas opções de carreira eram mais limitadas. Graças ao Centro, conseguiu uma bolsa para adquirir equipamentos para instalar um pequeno café, o que agora lhe proporciona um sustento para si e a sua família.

A Fundação AIS

Este novo projeto em Damasco tem o apoio da Fundação AIS. Trata-se de uma iniciativa que se baseia no trabalho de apoio anterior de outras organizações internacionais como a Caritas Polônia e a Oeuvre d’Orient.

A AIS é uma fundação pontifícia internacional que presta assistência pastoral à Igreja que sofre ou é perseguida, especialmente no Médio Oriente. Nos últimos 10 anos, a Fundação AIS contribuiu com cerca de 50 milhões de euros para a ajuda pastoral e espiritual da população cristã da Síria, para combater os efeitos da discriminação, da guerra e da pobreza.

Saiba mais sobre a situação na Síria e o trabalho da AIS na região clicando aqui.

Fonte: Site Notícias Canção Nova

Veja Também