Celebrações nos cemitérios de Juiz de Fora marcam Dia de Finados

0

Na última sexta-feira (2), foi celebrada, por toda a Igreja, a solenidade de Finados, festa de todos os fiéis defuntos. Os cemitérios de Juiz de Fora receberam milhares pessoas para homenagear e rezar pelos seus entes que já se foram.

No Cemitério Municipal, localizado no Bairro Poço Rico, ocorreram missas ao longo de todo o dia. Já no Cemitério Parque da Saudade, no Bairro Santa Terezinha, as celebrações aconteceram às 10h e às 15h. Em ambos os locais, o arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, conduziria uma das missas do dia. No entanto, ele teve um pequeno problema no joelho e não pode estar presente, mas passa bem.

*Missa das 10h, no Cemitério Municipal, foi presidida pelo Pe. Liomar Rezende de Moraes.

A celebração das 10h, no Cemitério Municipal, foi presidida pelo Padre Liomar Rezende e, mesmo com o calor, muitos fiéis estiveram presentes. Durante toda a missa, o sacerdote ressaltou que o dia não poderia ser marcado pela tristeza, mas, sim, pela saudade. “Nós somos convidados a manifestar a nossa fé e a certeza que Cristo venceu a morte, oferecendo a todos a vida eterna. E é nessa certeza que hoje nós, católicos, vamos aos cemitérios, rezamos por aqueles que já faleceram, na certeza de que eles estão junto de Deus, na vida eterna”, afirmou. Ao final da celebração, organizada pela Diaconia da Esperança, Padre Liomar abençoou as capelas 1 e 2, que foram reformadas.

No Parque da Saudade, o movimento de pessoas também era intenso. A missa das 15h foi presidida pelo Padre Luis Antônio Baldi Fávero, capelão do Cemitério, e contou com o auxílio do Diácono Nivaldo Dias Ferreira. O Coral Benedictus esteve presente enriquecendo a celebração.

*Celebração das 15h, no Parque da Saudade

Padre Luis Fávero tratou de esclarecer os motivos e a importância de os cristãos celebrarem o Dia de Finados. “Por isso nós viemos aqui, recordar os nossos irmãos e irmãs que nos antecederam na fé e Deus os acolheu. Se estamos aqui é para fazer memória da Páscoa de Jesus – a morte e a ressureição. A certeza que Deus nos dá é que, cumprindo a vontade do Pai, teremos a vida eterna. Vamos passar pela vida, sofrimento, cruz e morte para chegar ao céu”. “Viemos agradecer a Deus, porque Ele está preparando a vida eterna para nós; agradecer, porque Ele nos dá a salvação. Terminando nossas vidas, ressuscitaremos!”, acrescentou.

Ao término da missa, o padre agradeceu a presença de todos e se comprometeu a disponibilizar mais horários de celebrações no Parque da Saudade, “já que agora possuímos uma estrutura que facilita”, afirmou ele a respeito do espaço onde foi realizada a missa.

Para muitos, é uma tradição ir aos cemitérios rezar pelos defuntos. Para Sonia Maria Pires, a data é importante. “Desde pequena eu venho à missa nesse dia. Escolho vir aqui (no Cemitério Municipal) por conta dos meus familiares que estão enterrados aqui”. Para Ivana Bueno, outra devota que anualmente visita o Parque da Saudade, “é uma tradição por causa da religião. Visito os túmulos dos parentes, faço uma oração e venho à missa”.

Conteúdo Relacionado
X