Celebração Eucarística marca Ordenação Diaconal de dois seminaristas e abertura da nova fase do II Sínodo Arquidiocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na tarde do último domingo, 31 de outubro, a Catedral Metropolitana de Juiz de Fora sediou a Celebração Eucarística que marcou o início da segunda fase do II Sínodo Arquidiocesano e a Ordenação dos agora diáconos transitórios Rafael Coelho Nascimento e Robert César Teixeira.

O templo voltou a receber grande número de fiéis em Missa arquidiocesana, sendo tomados todos os cuidados de prevenção contra a Covid-19. Participaram, na ocasião, além de padres e diáconos permanentes, os missionários sinodais e os convidados dos seminaristas.

O momento de festa foi bastante emocionante para muitos presentes, principalmente para os ordenados. Segundo o Diácono Rafael, este é o início de um novo tempo que será vivido com alegria. “É muita emoção, muita gratidão pelo chamado, pela vontade dele se realizando em nossa vida, apesar das nossas limitações, das nossas fraquezas. Chegar a esse dia é muito mais do que chegar ao ápice, mas é o início de um novo tempo. Tempo de serviço, de entrega, de oferta pelo reino dos céus. A gente quer, com muita alegria, abraçar essa nova missão, para que o mundo faça experiência do amor de Deus, da presença dEle em cada vida, em cada coração.”

Para o Diácono Robert, que aparentava estar transbordando alegria, o lema da ordenação “Ungiu-nos, selou-nos e pôs em nosso coração o Espírito como penhor” (2Cor 1,22) é providentemente oportuno. “É uma mistura de sentimentos. A ansiedade quando a gente vê nossos irmãos passando por esse momento e agora chega a nossa vez. Então, é uma alegria imensa ver pessoas que torcem por nós, que rezam por nós aqui. Como nosso lema diz, agora é deixar conduzir pelo Espírito Santo na missão que o Senhor nos guia, apesar das nossas limitações, mas o Senhor nos chamou e a gente se coloca disponível para comprimir a vontade dele”.

Ele explicou o que muda agora tendo recebido o sacramento da ordem. A gente é Diácono transitório, porque tem em vista a Ordenação Presbiteral, porém sabemos que o diaconato passa, mas a diaconia permanece. O especifico é colocar-se a serviço, na liturgia da Palavra e também no serviço daqueles que mais precisam. A melhor forma de explicar é esse colocar-se a serviço e é isso que nós estamos nos propondo”.

O Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Missa festiva. “É grande a satisfação do meu coração com a ordenação diaconal de mais dois candidatos ao sacerdócio, e também grande alegria por iniciar uma nova fase do nosso sínodo. Com a constituição de comissões de novas diaconias, com ajuda dos padres e dos conselhos, instituímos agora nova etapa de trabalho em benefício da Igreja Particular de Juiz de Fora, uma igreja sempre em Missão, como nós sempre proclamamos e queremos ser”, frisou o Pastor.

Durante a homilia, Dom Gil falou o quanto é significativa esta acolher os novos diáconos. “A ordenação diaconal de vocês, caros filhos, representa muito para todos nós, pois além de vocês serem dois novos servidores de Deus que chegam para somarem ao clero na construção do reino, também representam, nessa nova fase sinodal, a marca da atenção aos pobres e a reforma da pastoral, dois elementos eminentemente diaconais; foi para isso que os apóstolos instituíram a ordem dos diáconos”, explicou ele, destacando a relação das celebrações.

O Arcebispo esclareceu que por trás de todas as ações está o mandamento maior “Amar a Deus, sobre todas as coisas e amar ao próximo como a ti mesmo”. “O que queremos em nossa Arquidiocese com estes fatos, senão colocar em prática, da melhor maneira possível, superando nossos limites e nossas fragilidades, o grande mandamento que Jesus nos ensinou? O que queremos com nosso sínodo, senão caminhar juntos, praticando concretamente o amor?”

Ao final da Celebração Eucarística, ocorreu uma homenagem a Virgem Maria, onde Dom Gil abençoou uma imagem da Catedral que foi restaurada e anunciou Nossa Senhora como copadroeira da Diocese, em vista do Centenário da Diocese, com título a definir e a ser decretada pela Santa Sé.

A data para a ordenação sacerdotal de Robert e Rafael ainda não está definida.

Caminhada Sinodal

Antes da Eucaristia, cerca de 70 missionários sinodais reuniram-se com a Comissão do Sínodo para conhecerem os próximos passos da iniciativa pastoral. “Tivemos a alegria de realizar a segunda assembleia com os missionários. Pudemos fazer um balanço da primeira fase do II Sínodo, através do resultado dos relatórios, tivemos a palavra do Arcebispo, motivando os presentes a coparticiparem cada vez mais desse momento, e preparar para poder viver o tempo novo”, contou o Secretário do II Sínodo Arquidiocesano, Padre Vanderlei Santos de Sousa, CSsR.

Este foi o primeiro encontro presencial, após o início da pandemia. Para  Alice Araújo, da Paróquia Nossa Senhora da Piedade, de Rochedo de Minas (MG), a reunião foi muito proveitosa. “Esse encontro pessoal faz muita falta, anima mais a gente, vemos as experiências de outras paróquias e buscamos isso como um exemplo a ser seguido. A gente pode ver mais as falhas existentes poque as vezes a gente acomoda”, relatou a missionária sinodal.

Durante a Eucaristia daquela tarde, Dom Gil explicou aos fieis o objetivo, a nova fase e a satisfação com todo o trabalho feito até então. “Estamos agradecendo a Deus pela primeira etapa do sínodo. Essa fase primeira durou 2 anos. Com alegria e esperança, estamos abrindo a nova fase sinodal, empreendendo caminhos novos neste tempo que já se abre para a superação da pandemia. Vamos juntos caminhar nesse novo tempo; certos de que estamos realizando o grande preceito do Senhor.”

Sínodo Arquidiocesano

O II Sínodo Arquidiocesano foi aberto oficialmente em 27 de outubro de 2019. Seu objetivo é examinar a realidade de toda a Arquidiocese e elaborar maneiras de melhora-la, de forma que as paróquias e comunidades caminhem juntas no trabalho de evangelização e rumo ao céu.

A nova fase do II Sínodo Arquidiocesano terá dois enfoques: caridade e a pastoral. “A primeira fase foi marcada pela palavra “desafio”, começamos com um projeto, uma perspectiva, e aí veio a pandemia da covid-19 que nos lançou num turbilhão de outras perguntas. Foi um desafio. A Igreja se propõe a ouvir, a caminhar juntos, e Deus nos propiciou a ter uma experiencia mais profunda, não só do que era mais comum, do que já estava organizado, mas a pandemia nos colocou para olhar com muito mais atenção e saber que a gente pode dar passos concretos dentro da nossa Igreja”, explicou o Secretário do Sínodo.

Durante a Missa da Abertura da II fase, o Arcebispo frisou a importância de olharmos para realidade sanitária e social que estamos vivendo, justificando mais uma vez a escolha de tais pilhares como nova linha de atuação.

Boas novas

Na ocasião, foram apresentados aos fiéis novo hino e oração, compostos especialmente para a nova fase. Além disso, por meio de decreto, foram criadas oficialmente a Comissão para Revisão e Reforma da Organização Pastoral da Arquidiocese de Juiz de Fora e a criação de duas novas diaconias: a Diaconia ‘Dai-lhes vós de comer’ – com o objetivo de servir aos trabalhos da Arquidiocese de cuidam de insegurança alimentar-, e a Diaconia ‘Vinde a mim os pequeninhos’, com o objetivo de servir aos grupos diocesanos que desempenham atividades educativas.

Para o Padre Vanderlei a palavra que marca a II fase é confiança. “A Igreja caminha, é sustentada pelo Espírito, e com certeza ele vai nos dar sabedoria para conduzir-nos a olhar mais de perto as necessidades, a olhar mais de perto a dinâmica pastoral. Esses desafios, com a confiança em Deus, será uma realidade que nosso sínodo vai oferecer para a Igreja do Brasil através de Juiz de Fora”, afirmou o sacerdote.

É possível conferir o novo hino e oração em nosso site. Além disso, em nossa galeria, há mais fotos deste importante momento de nossa Igreja Particular.

Veja Também