Candidatos ao Diaconato Permanente são instituídos Acólitos e Leitores

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No último sábado, 10 de agosto, 25 candidatos ao Diaconato Permanente da Arquidiocese de Juiz de Fora deram mais um passo rumo à consagração definitiva. Em Celebração Eucarística presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, na Catedral, eles foram instituídos Acólitos e Leitores, funções que exercerão até a ordenação diaconal, prevista para dezembro.

A Santa Missa, concelebrada por dezenas de padres de nossa Igreja Particular, contou também com a presença de grande parte dos diáconos permanentes do clero arquidiocesano e dos familiares dos candidatos. Durante o rito de instituição dos ministérios, eles foram apresentados à assembleia e receberam, das mãos dos sacerdotes responsáveis por suas paróquias de origem, a Palavra de Deus e a Patena, onde são colocadas as hóstias para a consagração e a distribuição ao povo.

Segundo Dom Gil, além do consentimento das esposas para receberem o primeiro grau do Sacramento da Ordem, os aspirantes ao Diaconato foram aprovados por conselhos de diáconos e presbíteros. “Eles se prepararam durante quase quatro anos estudando Filosofia e Teologia, também se abastecendo espiritualmente, e agora estão aptos, segundo a nossa aprovação, para receber o Leitorato e o Acolitato. Esse é um passo importante na ordem do Diaconado”.

Tendo em vista o início do II Sínodo Arquidiocesano, previsto para outubro, o pastor ressalta que a ordenação dos diáconos será uma imensa contribuição para o progresso pastoral e litúrgico da Arquidiocese. “Esta força, que vem somar a outros 25 diáconos que já estão ordenados, vem significar muito para a vida da Igreja Particular de Juiz de Fora. Serão 50 diáconos consagrados para a vida inteira a servir o povo de Deus. É a multiplicação dos serviços, tanto litúrgicos quanto para os pobres”.

De acordo com o reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio e diretor da Escola Diaconal Santo Estevão, Monsenhor Luiz Carlos de Paula, os 25 novos acólitos e leitores foram os que perseveraram de uma turma bem maior. A partir de agora, eles atuarão nos ministérios da Palavra, da liturgia e da caridade. “Eles devem ser aqueles que proclamam a Palavra do Senhor e que ajudam no altar, na Mesa da Eucaristia. E, também, atuando no ministério da caridade, ajudando àquelas pessoas mais carentes. Isso enriquece a nossa ação evangelizadora. Para nós, que estamos às vésperas da abertura do Sínodo, é uma alegria podermos contar com mais pessoas instituídas nos ministérios”.

Para o Diácono Ruy Figueiredo, vice-diretor da Escola Diaconal e presidente da Comissão Arquidiocesana dos Diáconos (CAD), a formação dos aspirantes ao Diaconato vem sendo aperfeiçoada. “Essa escola foi muito mais bem preparada, com um enfoque mais forte na conscientização no nosso múnus diaconal, que é da Sagrada Liturgia, da Palavra de Deus e da caridade. Eles estão plenamente impregnamos nesse espírito diaconal”.

O diácono ainda reitera a disposição dos candidatos em viver a Palavra de Deus, dando o exemplo de Maria. “Primeiro eles têm que colocar a Palavra de Deus no seu coração, vivê-la para anunciar ao povo. Eu me lembro de Maria, porque quando ela abraçou Isabel, João Batista saltou de alegria em seu ventre. Nossa Senhora tinha assimilado a palavra que era Jesus; ela estava grávida de Jesus. Que todos os ministros do Senhor sejam grávidos de Jesus também, para que suas palavras toquem os corações das pessoas, transformando-as e convertendo-as”.

Em nome dos 25 acólitos e leitores, o candidato ao Diaconato Permanente Antônio Valentino da Silva Neto, pertencente à Paróquia Santo Antônio – Catedral, avaliou de forma positiva os quase quatro anos de aprendizado e crescimento não só pastoral, mas pessoal. “Foi um chamado à vocação para todos nós. É também uma oportunidade de a gente servir a Igreja de uma forma mais dedicada, mais consciente, a partir da formação que nós recebemos. Olhar os irmãos que precisam e enxergar neles o próprio Cristo, e servi-los com amor, com carinho, com atenção, porque a nossa vocação principal é a caridade”, afirmou.

Os aspirantes ao primeiro grau do Sacramento da Ordem seguem na Escola Diaconal até o final do ano. A ordenação está prevista para 7 de dezembro, véspera da Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, às 15h, em cerimônia na Catedral Metropolitana.

Veja Também