Campanha da Fraternidade 2020 é apresentada em coletiva de imprensa

0

A Igreja Católica anualmente realiza a Campanha da Fraternidade (CF),  uma iniciativa que coloca em pauta uma temática, voltando os olhares das comunidades e toda a sociedade civil, a fim de ampliar sua reflexão sobre o tema em questão.  Neste ano a CF traz o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-34), além de Santa Dulce dos Pobres no Cartaz Oficial.

Em nossa Arquidiocese, a Campanha da Fraternidade deste ano foi apresentada a imprensa na tarde da última sexta-feira (21), no prédio da Cúria Metropolitana. Na ocasião, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, o secretário executivo da Pastoral Arquidiocesana, Padre Everaldo José Sales Borges, o vigário episcopal para o Mundo da Caridade, Padre Geraldo Dondici Vieira, e o vigário episcopal para Educação, Comunicação e Cultura, Padre Antônio Camilo de Paiva abordaram o assunto.

O Arcebispo Metropolitano iniciou recordando os jornalistas sobre o significado Quaresma, marcado justamente pela CF, e a amplitude do convite feito para campanha. “Quaresma é tempo de conversão. A Campanha da Fraternidade propõe uma mudança de vida, mas é também uma conversão social, dado que nós temos problemas no meio social para resolver, problemas que causam grandes prejuízos a dignidade humana. Ela não fala apenas para os católicos,  fala para toda a sociedade, por isso o tema da campanha é nunca é um tema confessional.”

Dom Gil explicou ainda o propósito da Campanha da Fraternidade 2020. “Baseado na parábola do Bom Samaritano, que Jesus nos contou, agora queremos sensibilizar a todos que olhem ao seu redor, onde há pessoas sofrendo e façam como o bom samaritano. A Campanha quer despertar a atenção  para os pobres e sofredores, para essa sensibilidade de ter compaixão e uma atitude proativa de cuidar daqueles que necessitam de nós.”

Padre Dondici reafirmou o convite a conversão através do cuidado com o outro e apresentou o trabalho do Vicariato para o Mundo da Caridade. ” O Vicariato da Caridade reúne, animando, sustentando e organizando,  os vários grupos de ação caritativa da arquidiocese. São mais de 100 grupos. São milhares de pessoas em Juiz de Fora, sendo bons e boas samaritanas, cuidando dos mais pobres. O que os grupos fazem nos convidam a fazer algo, todos podem fazer.”

Padre Everaldo avalia o tema como de grande ajuda para o trabalho de pastorais do campo da caridade. “A Campanha da Fraternidade ajuda as pastorais ampliarem seu trabalho também, reforça aquelas que já estão trabalhando na área do cuidado com a vida e ajuda a abrir o olhar e ver um leque de possibilidades muito grande para cuidar da vida.”

Amém disso, o secretário executivo  da Pastoral destaca três elementos chave da CF 2020. “Olhamos de maneira significativa e profunda esse tema, a partir do texto que é muito conhecido, da palavra samaritano – que entrou na nossa cultura e da alegria de ter essa nossa irmã na fé (no cartaz). Ela (Santa Dulce dos Pobres) é a samaritana modelo dos nossos tempos, do Brasil, também trazendo a figura da mulher, que é protagonista da Igreja, nas obras de caridade, na ação em prol da vida.”

Padre Camilo falou a respeito do papel dos cristãos que também é destaque na temática da campanha. “A vida é um dom, é uma felicidade, mas ninguém pode ninguém pode viver de forma irresponsável. Ninguém vem nesse mundo e vai embora do nada. Eu sou responsável pelo outro e o outro por mim. Então a vida é dom e também compromisso.”

A CF 2020 será oficialmente lançada em Juiz de Fora no dia 26 de fevereiro, Quarta-feira de Cinzas, às 19h, na Catedral Metropolitana. A celebração será presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira.

Iniciativas da Arquidiocese 

Na coletiva de imprensa, Dom Gil também falou sobre alguns trabalhos realizados na arquidiocese em prol dos mais necessitados. Dentre eles, o arcebispo destacou o Instituto Padre João Emílio, que oferece ações no âmbito da Proteção Social Básica e atende ao território correspondente ao município de Juiz de Fora, a Fundação Maria Mãe, que busca amparar, promover e recuperar adultos carentes desabrigados em Juiz de Fora, a Fazenda da Esperança  uma comunidade terapêutica que atua no processo de recuperação de pessoas que buscam a libertação de seus vícios, principalmente do álcool e das drogas, e a Sociedade São Vicente de Paula, um movimento presente também nas cidades do interior que realiza iniciativas destinadas a aliviar o sofrimento dos pobres. 

*Com informações de WebTV A Voz Católica 

Conteúdo Relacionado
X