Biblioteca Vaticana promove encontro sobre preservação digital

Sala Sistina da Biblioteca Apostólica Vaticana durante uma conferência /Foto: Arquivo Vatican Media
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Biblioteca Apostólica Vaticana (BAV) está sediando, nesta sexta-feira (22), o primeiro dos três dias de um curso internacional organizado pela mais importante rede de bibliotecas da qual é membro: a IFLA (Federação Internacional de Associações e Instituições de Bibliotecas). O objetivo do curso é oferecer uma oportunidade de desenvolvimento profissional e de rede qualificado.

Um confronto internacional

“Também nos reunimos com os responsáveis de bibliotecas e federações associativas de bibliotecas de todo o mundo para verificarmos juntos e trocarmos experiências em relação à coleta, conservação e disponibilização do acervo das bibliotecas que cresce ao longo dos anos”, afirma o prefeito da BAV, pe. Mauro Mantovani.

O primeiro dia é dedicado principalmente aos desafios da preservação digital, com foco na pesquisa e nas práticas atuais sobre a sustentabilidade e a reutilização de coleções digitais. O projeto de preservação digital a longo prazo da Biblioteca Apostólica Vaticana é apresentado pela coordenadora dos Serviços de Informática, Paola Manoni, pelo chefe do CED Manlio Miceli e pelo membro da Coordenação dos Serviços de Informática, Giuliano Giuffrida. “A preservação de toda a documentação digital, graças ao desenvolvimento da tecnologia, está sendo melhorada”, observou o prefeito.

A ligação histórica e profunda com a IFLA

Os outros dois dias estão ligados a temas de ciência da informação. No dia 23, o estudo se realiza na Casa Geral do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs onde também está prevista a partilha de experiências em métodos de pesquisa, com um seminário especificamente dedicado. O domingo, dia 24, é dedicado às características e aos projetos atuais e futuros da Academia Vivarium Novum (na Villa Falconieri, em Frascati) entre tradição e inovação, com especial atenção às suas Bibliotecas e seus Arquivos. “Estamos particularmente felizes por sermos protagonistas deste evento – explica pe. Mantovani – porque o vínculo com a IFLA é particularmente profundo e queremos destacá-lo também nos anos que antecedem o centenário da fundação”. A iniciativa destes dias se realiza 96 anos depois da primeira conferência internacional realizada em Roma, na qual a IFLA foi oficialmente criada.

O papel da IA ​​no trabalho da biblioteca

“Houve momentos em que a BAV lidou com a evolução das novas tecnologias e passou por um processo de modernização que envolvia tanto a estrutura quanto os funcionários. Parece-nos bom pensar também no futuro, para nos abrir e colocar à disposição tudo o que se tem para a promoção da cultura, para a pesquisa da verdade recorrendo também ao intercâmbio com realidades que viveram as mesmas experiências”, sublinha o prefeito. Mas até que ponto a Inteligência Artificial incide no trabalho da Biblioteca? “Temos também alguns projetos muito interessantes de utilização da IA no que diz respeito, por exemplo, ao reconhecimento de imagens, à pesquisa de texto com possibilidades que eram impensáveis ​​​​no passado”, frisa pe. Mauro. “É claro que ela deve ser sempre orientada, guiada com uma sabedoria que remete a uma dimensão pessoal que somos chamados a cultivar. A dimensão humana não pode ser sacrificada, mas deve ser promovida, graças à IA”. Trata-se de não esquecer o valor adjunto da relação, em espaços cada vez mais adequados, que o prefeito imagina possa distinguir a Biblioteca Apostólica Vaticana até mesmo daqui a vinte anos: “Com os melhores instrumentos na busca do bem, do verdadeiro e do belo”.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também