Às vésperas do 6º Domingo da Páscoa, clero se reúne em Missa da Unidade Arquidiocesana

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã do último sábado, 8 de maio, o Clero Arquidiocesano se reuniu na Catedral de Juiz de Fora para a Missa dos Santos Óleos, presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. Na oportunidade, os padres presentes renovaram suas promessas sacerdotais e assistiram à bênção dos óleos dos Catecúmenos e dos Enfermos e à consagração do Santo Crisma.

Em razão da pandemia, somente presbíteros, diáconos e seminaristas participaram da celebração, que foi transmitida pelas redes sociais e pela Rádio Catedral. O Arcebispo Emérito da Arquidiocese de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, e o Eparca Greco-Melquita, Dom George Khoury, também estiveram presentes.

Essa Eucaristia, grande marca da unidade arquidiocesana, é tradicionalmente realizada na Quinta-feira Santa, mas este ano não pôde ocorrer devido à onda roxa que vigorava no município na ocasião. “A Missa do Santo Crisma é de grande importância no calendário litúrgico de cada Igreja Particular. Ela acontece uma vez por ano, apenas. Este ano nós fizemos às vésperas do 6º Domingo da Páscoa, cujo evangelho é o amor; o amor que une, que nos leva a dar a vida”, ressalto Dom Gil Antônio Moreira. “Os padres não têm trabalhos separados, isolados; eles trabalham em conjunto, como uma grande comunidade presidida pelo pastor local, que é o bispo. Então, este é um momento de grande importância, seja para a liturgia, seja para a vida eclesial”, completou.

O Arcebispo apontou que a própria bênção dos Santos Óleos, durante a liturgia, é sinal de unidade. “O mesmo óleo que é bento aqui vai para todas as paróquias, constituindo a grande unidade eclesial diocesana. O Óleo dos Enfermos é para aqueles que estão em perigo de morte, doença grave; o Óleo dos Catecúmenos é para aqueles que estão se preparando para ser batizados e o Óleo do Crisma é usado em vários momentos: no batismo, no sacramento da Crisma e nas ordenações sacerdotais e episcopais”.

A Missa da Unidade é também muito esperada pelos sacerdotes, como afirma o Administrador da Paróquia Santíssima Trindade, de Descoberto (MG), Padre Alessandro de Melo. “É um momento para renovarmos os nossos votos sacerdotais e também podermos confraternizar com os nossos irmãos. Também é uma experiência bonita, pois levamos os Santos Óleos para as paróquias e, assim, dinamizamos ainda mais a experiência sacramental e a vida pastoral da paróquia”.

O Padre Gleydson Pimenta de Faria, responsável pela Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Bocaina de Minas (MG), recorda a importância da celebração, sobretudo no contexto sinodal. “O que nós celebramos é o ministério de Cristo nos seus sacerdotes, reunidos em torno do seu pastor, que é o arcebispo. É uma alegria estarmos unidos enquanto presbitério, enquanto Igreja Arquidiocesana para celebrar esse momento, sobretudo no contexto do 2º Sínodo da nossa Arquidiocese, que nos motiva a ser sempre uma Igreja em saída, uma Igreja em missão”.

A renovação das promessas sacerdotais pelos padres presentes ocorreu após a Liturgia da Palavra e a homilia do Arcebispo. Em seguida, foi realizada a bênção dos Santos Óleos, que no fim da missa, foram distribuídos aos 12 vigários forâneos da Arquidiocese de Juiz de Fora, que, por sua vez, os repassaram aos padres das paróquias de cada forania.

Os óleos também foram entregues a Dom Gil, Dom Eurico e aos sacerdotes responsáveis ou que acompanham os trabalhos no Lar Sacerdotal Mater Christi, no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, no Mosteiro São Bento, na Capelania da Santa Casa de Misericórdia, na Capelania Militar e no Cenáculo São João Evangelista.

Veja Também