Arcebispo se une ao Papa na entrega da Rússia e da Ucrânia a Nossa Senhora

Nesta sexta-feira, 25 de março, dia em que a Igreja celebrou a Solenidade da Anunciação do Senhor, as Igrejas de todo mundo se uniram para atender a um pedido do Papa Francisco: rezar pela paz, especialmente na Rússia e Ucrânia que estão em guerra.

Na Catedral Metropolitana de Juiz de Fora, o Arcebispo Dom Gil Antônio Moreira, presidiu a Missa pela Paz que foi iniciada com o repicar dos sinos. “Nesse momento em todas as igrejas da Arquidiocese de Juiz de Fora os sinos estão sendo dobrados, sinos pela paz, chamando a atenção de todos para a paz, para o céu, para oração, para o verbo encarnado, para a Virgem Maria que é rainha da paz”, relatou Dom Gil.

Durante toda a Eucaristia o Pastor reforçou a necessidade da paz, dizendo que “o mundo não precisa de guerra, o mundo precisa de paz”. Ele ainda explicou melhor o motivo da consagração da Rússia e Ucrânia e da humanidade ao Imaculado Coração de Maria. “Estamos pedindo que cessem as agressões. A nossa esperança é que a intercessão de Maria alcance de Deus uma graça poderosa, para que aqueles que estão agredindo cedem de agredir, conscientizem-se, tenham bom senso de parar de matar, de usar da violência e que volte a paz à Ucrânia e a todas as pessoas no mundo todo.”

Durante a homilia, o Arcebispo recordou brevemente a significância da Festa da Anunciação e destacou a unidade da Igreja no dia de tal solenidade.  “Hoje o Papa Francisco mais uma vez consagra, com todos os bispos, com todos os fiéis do mundo todo a Rússia e a Ucrânia entrega aos cuidados de Maria; mas também toda a humanidade, para que ela seja educada na paz, nunca na violência. Deus é o Senhor da paz”.

Após a comunhão, diante da imagem de Nossa Senhora de Fátima, Dom Gil rezou a mesma oração que o Papa utilizou pouco depois em Roma. “Tornamo-nos indiferentes a todos e a tudo, exceto a nós mesmos. E, com vergonha, dizemos: perdoai-nos, Senhor! Na miséria do pecado, das nossas fadigas e fragilidades, no mistério de iniquidade do mal e da guerra, Vós, Mãe Santa, lembrai-nos que Deus não nos abandona, mas continua a olhar-nos com amor, desejoso de nos perdoar e levantar novamente”, diz um trecho do texto da consagração.

A Celebração Eucarística, ao meio-dia, na Catedral contou com a participação de dezenas de fiéis presencialmente e pôde ainda ser acompanhada pela Rádio Catedral e WebTv A Voz Católica.

*Colaboração: Rádio Catedral de JF

Veja Também