Arcebispo de Juiz de Fora divulga transferências de padres

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã deste domingo, 22 de maio, o sexto da Páscoa, o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, divulgou comunicado no qual indica as transferências de padres para novas paróquias. O anúncio já havia sido feito a presbíteros e diáconos no último dia 17, durante Reunião do Clero, no prédio da Cúria Metropolitana.

Ao todo foram 33 mudanças, contemplando paróquias de Juiz de Fora e de outras cidades da Arquidiocese. No início de sua mensagem, o Arcebispo indica que as alterações têm “como único objetivo o bem espiritual do Povo de Deus que peregrina nesta grei”. Além disso, por ocasião do encontro de terça-feira (17), Dom Gil explicou que essas mudanças são naturais e inevitáveis. “Elas vão acontecer sempre, não há como um padre ficar perpetuamente em uma paróquia”, afirmou em entrevista aos veículos de comunicação arquidiocesanos.

Vale lembrar que as leis da própria Igreja esclarecem sobre o porquê das transferências de padres numa (arqui)diocese: o Código de Direito Canônico, em seu cânon 1748, determina que “se o bem das almas ou a necessidade ou utilidade da Igreja já exigirem que o pároco seja transferido de sua paróquia, que dirige com eficiência, para outra paróquia ou outro ofício, o bispo proponha-lhe a transferência por escrito e o aconselhe a consentir, por amor a Deus e das almas”. O regulamento eclesiástico ainda aponta que as transferências podem ser voluntárias ou por obediência, isto é, com o consentimento do sacerdote ou pelo voto de obediência ao (arce)bispo, juramento proferido durante o ato de sua ordenação.

Clique aqui e confira a mensagem do Arcebispo na íntegra.

Veja Também