Ano Jubilar da Diocese de Juiz de Fora é apresentado em coletiva de imprensa

Aproxima-se a data do centenário da diocese de Juiz de Fora, em um mês será realizada a abertura do ano jubilar. Na ocasião, a Catedral Metropolitana receberá um grande Celebração com a presença do Núncio Apostólico, representante diplomático que exerce o posto de embaixador do Vaticano, Dom Giambattista Diquattro.

Criada pelo Papa Pio XI em 1º de fevereiro de 1924, pela bula “Ad Sacrosancti Apostolatus Officium”, a Diocese de Juiz de Fora festejará seus 99 anos no primeiro final de semana do próximo mês, nos dias 4 e 5 de fevereiro, e uma extensa programação está sendo preparada para marcar este momento.

Em vista disso, na manhã da primeira segunda-feira do ano, dia 2 de janeiro, os veículos de comunicação de Juiz de Fora se reuniram no prédio da Cúria Metropolitana, onde o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, o Vigário Episcopal para Comunicação, Padre Antônio Camilo de Paiva e o Pároco da Catedral, Padre João Paulo Teixeira Dias, explicaram a importância deste evento.

A vinda do núncio representa um desejo de manifestar nossa união plena com o Papa, que é o sucessor de Papa. A Igreja só tem sentido se ela busca e promove a unidade. Então, o Núncio vem representando a unidade da Igreja”, destacou Dom Gil.

Afinal, o que é um Núncio Apostólico?

Na Igreja Católica, dentre seus vários organismos e membros hierárquicos, reveste-se de importância o ministério do Núncio Apostólico que é o representante do Papa junto ao episcopado de uma nação e embaixador da Santa Sé junto ao Governo do País. Tem, portanto, como missão efetivar vínculos e tornar eficaz o diálogo e a proximidade das Dioceses e Bispos com o Santo Padre, o Papa, e não somente isto: a pessoa do Núncio deve promover e estimular o diálogo e relações entre a Santa Sé e as autoridades do País ao qual ele corresponde. Assim, relacionado ao diálogo com o Estado, o Núncio exerce a função de diplomata, como a maioria dos embaixadores exercem nos países onde cumprem suas funções.

O atual Núncio Apostólico do Brasil, nomeado em agosto de 2020, é Dom Giambattista Diquattro. Ele chegará a Juiz de Fora na noite do dia 3 de fevereiro e nos dias seguintes terá uma agenda extensa de compromissos em nossa arquidiocese.

Programação da Visita

Durante a coletiva, o Arcebispo de Juiz de Fora contou o roteiro detalhado da visita do Núncio. Os principais momentos serão: Ida a Fazenda da Esperança, Celebração no Seminário e Missa Solene na Catedral; os dois primeiros no dia 4 de fevereiro. “Ele terá três visitas importantes: primeiro, a Fazenda da Esperança, onde desenvolvemos um trabalho muito importante, que é a recuperação de pessoas dependentes químicas que desejam sair desta situação. Temos duas fazendas ele vai visitar a de Guarará. Seria interessante se ele pudesse visitar muitos outros campos de atuação que a Igreja tem, mas escolhemos a Fazenda da Esperança como símbolo que tudo aquilo que a Igreja faz no âmbito caritativo”, esclareceu ele.

Na tarde do sábado (4), Dom Giambattista segue para o Seminário Santo Antônio, em Juiz de Fora, onde celebrará uma Missa Vocacional com Rito de Ministérios de Leitor e Acólito para dois seminaristas. Todo o docente e discente estará presente, incluindo seminaristas de outras dioceses e de congregações que estudam no local.

“Isso traz para nós um significado grande, porque é também o ano vocacional e nós queremos, como pastores e formadores de pastores, dizer que existem outras vocações importantes e todos eles têm um papel importante na Igreja. Queremos juntar três partes, a formação intelectual, a formação espiritual litúrgica e a formação pastoral. Esse será um momento alto na nossa formação em Juiz de Fora”, afirmou Pe. Camilo, que além de Vigário para a Comunicação é Reitor do Seminário.

Para o ano de 2023, a Beatíssima Virgem Maria, Mãe do Salvador foi a indicada para ser padroeira deste ano preparatório para o centenário.

O ápice da visita será na tarde de domingo, dia 5 de fevereiro, na Catedral Metropolitana. “Como coroamento de toda a visita do Núncio à nossa Arquidiocese, teremos uma programação toda especial na Catedral. A partir das 14h30, teremos a entrada pontifical, onde vamos acolher solenemente o Núncio Apostólico, o nosso Arcebispo e os demais Bispos, em seguida, a Santa Missa. Portanto esse dia é para nós bonito, celebrativo, litúrgico, de toda a nossa história de fé da nossa arquidiocese”, disse Pe. João Paulo.

Vale destacar que a Missa de abertura do jubileu também marcará a abertura do Ano Mariano em nossa arquidiocese, a abertura do ano vocacional e contará com a acolhida da relíquia da Beata Isabel Cristina, que a partir de então ficará exposta para veneração dos fiéis na Catedral.

Mais informações sobre a abertura do jubileu serão divulgadas em breve.

Veja Também