A menos de 15 dias para a abertura do II Sínodo, reunião define últimos detalhes

0

Na última segunda-feira (14), foi realizada, no prédio da Cúria Metropolitana, a última reunião antes da abertura litúrgica do II Sínodo Arquidiocesano, prevista para 27 de outubro. O encontro foi conduzido pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. Participaram, na ocasião, religiosos e leigos pertencentes à Comissão Ampliada.

“Esta celebração do dia 27 será muito importante para a vida da nossa Igreja Particular de Juiz de Fora. Nós vamos ter um impulso para o II Sínodo, que terá sua abertura de trabalhos, prática, no dia 7 de dezembro”, disse Dom Gil em entrevista à WebTV “A Voz Católica”. O pastor também lembrou que, no final de outubro, a celebração recordará o encerramento do Mês Missionário Extraordinário e do Sínodo para a Amazônia, além de marcar a admissão às ordens dos novos diáconos – transitórios e permanentes – que serão ordenados em dezembro e o envio dos missionários sinodais.

“O nosso coração está cheio de alegria, de entusiasmo. Queremos que este período determine uma nova fase da nossa Igreja Particular no que tange à vivência do povo das mensagens do evangelho e da organização da Arquidiocese de Juiz de Fora”, completou o Arcebispo Metropolitano.

O Assessor Teológico do II Sínodo, Padre Geraldo Dondici Vieira, lembrou do tema que regerá as atividades: “Proclamai o Evangelho pelas ruas e sobre os telhados” (Mt 10,27). “Recordando essa palavra de Jesus, pedindo que o esforço nosso, guiado pelo Espírito Santo, leve o evangelho mais profundamente dentro da nossa cultura e o estenda no mundo inteiro”.

O secretário-executivo de Pastoral e coordenador do II Sínodo, Padre Everaldo José Sales Borges, ressaltou que será um passo importante no caminho pastoral da Igreja local. “Nós somos convocados pelo Papa Francisco, que tem pedido constantemente uma Igreja mais em saída; nós somos convocados pela CNBB, que publicou as novas diretrizes para a evangelização no Brasil, que falam objetivamente da evangelização a partir do mundo urbano; e nós somos convocados pelo nosso arcebispo, com o lema da nossa Arquidiocese: ‘Uma Igreja sempre em missão’. O nosso Sínodo tem esta proposta, de ampliar e dar passos significativos a partir daquilo que foi sedimentado até hoje do I Sínodo”.

Durante a reunião do início da semana, o Professor Davi Maçaneiro foi o responsável por aprofundar o quarto capítulo do documento “Sinodalidade e missão na vida da Igreja”. Ele explica que o objetivo foi descobrir a espiritualidade que deve mover os delegados sinodais. “A espiritualidade do diálogo, da escuta e discernimento comunitário. Na Igreja sinodal todos seguem Cristo – caminho, verdade e vida. Os fiéis, os leigos, o clero, reunidos com o bispo, são a Igreja do caminho: segue Jesus no caminho como discípulo, buscando viver como Ele viveu e, como enviados, saindo para o mundo e anunciando a boa notícia”.

O encontro ainda contou com uma explanação sobre o Sínodo para a Amazônia, assunto abordado pelo Padre Leonardo Loures. Além disso, foi oficializada a logomarca do II Sínodo Arquidiocesano e feito um relato sobre o andamento dos relatórios enviados por paróquias, escolas católicas, congregações, pastorais, movimentos e associações.

Conteúdo Relacionado
X