59ª Assembleia Geral da CNBB: perguntas e respostas sobre a segunda etapa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A segunda etapa da 59ª Assembleia Geral da Conferência Nacional da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) será realizada de 28 de agosto a 2 de setembro, de forma presencial, no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo. Para entender mais sobre este encontro do episcopado brasileiro, a Assessoria de Comunicação da CNBB preparou uma série de perguntas e respostas sobre o evento.

O que é a Assembleia Geral da CNBB?

A versão atual do texto regimental da Conferência (Documento 70 da CNBB) descreve a Assembleia Geral como “órgão supremo da CNBB, expressão e realização maiores do afeto colegial, da comunhão e corresponsabilidade dos Pastores da Igreja no Brasil”, com a finalidade de realizar os “objetivos da CNBB, para o bem do povo de Deus” (art. 27) e para fazer “crescer a comunhão e a participação” (art. 28). Segundo o que indica o texto, “a Assembleia Geral tratará de assuntos pastorais de ordem espiritual e de ordem temporal e os problemas emergentes da vida das pessoas e da sociedade, sempre na perspectiva da evangelização” (art. 29).

Como será realizada a segunda etapa da 59ª Assembleia Geral da CNBB? 

A segunda etapa, presencial, será realizada no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida (SP). A cada dia, serão dois blocos, manhã e tarde. Na parte da manhã, das 8h às 12h e, na parte da tarde, das 14h às 17h. Ao todo serão realizadas 8 sessões.

Quem participa da Assembleia Geral da CNBB?

Participam do evento os cardeais, os arcebispos, os bispos diocesanos, auxiliares e coadjutores, além dos bispos eméritos, administradores diocesanos e representantes de organismos e pastorais da Igreja, que são convidados. A Igreja Católica no Brasil possui 278 circunscrições eclesiásticas. O número de bispos no país é de 478, dos quais 321 estão no exercício do governo pastoral de alguma Igreja Particular (na ativa) e outros 157 são bispos eméritos (aposentados).

Qual o tema central e os outros temas deste ano?

“Igreja Sinodal – Comunhão, Participação e Missão” é o tema da 59ª Assembleia Geral da CNBB. A temática está em sintonia com o processo do Sínodo 2021-2023, convocado pelo Papa Francisco, e também está relacionada às celebrações dos 70 anos de criação da CNBB.

Desta vez, na segunda fase, além do aprofundamento do Tema Central, propostas e indicações para a elaboração das próximas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) serão feitas rumo à consolidação na 60ª Assembleia Geral da CNBB, em 2023.

Os temas que serão votados pelos bispos são as atualizações do Estatuto da CNBB, o Novo Missal, o Ministério do Catequista e o Estudo nº 114, cujo título é: “E a Palavra habitou entre nós” (Jo 1,14) – Animação Bíblica da Pastoral a partir das comunidades eclesiais missionárias”.

Como será feita a cobertura jornalística?

Todos os dias, a Assessoria de Comunicação da CNBB organizará uma Coletiva de Imprensa, às 15 horas, com dois bispos indicados pela presidência da CNBB para apresentar os assuntos e desdobramentos dos debates realizados pelo episcopado brasileiro na Assembleia Geral. Os jornalistas que se credenciaram previamente terão acesso à sala de coletiva, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida.

Como acompanhar?

No portal da CNBB e nas redes sociais (Facebook e Youtube) será possível acompanhar a cobertura dos principais temas abordados nas sessões. Serão divulgados também boletins diários, com a produção do boletim Igreja no Brasil especial.

Já as coletivas de imprensa poderão ser acompanhadas, ao vivo, pelo portal A12 e redes sociais da CNBB, sempre às 15h. E as celebrações que acontecerão às 18h, pela TV Aparecida e portal A12. Nas redes sociais, a interação fica por conta da hashtag #59AGCNBB.

Clique aqui e acesse a página especial da 59ª Assembleia Geral.

*Fonte: Site da CNBB

Veja Também