52ª Assembleia Nacional dos Bispos: Última Coletiva de Imprensa (dia 08 de maio)

14081044285 5c0d0c5852 c
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

*Colaboração: Pe. Frei Flávio Henrique, pmPN

 
Na manhã da última sesta-feira, dia 08 de maio de 2014, o episcopado católico brasileiro, reunido em Aparecida do Norte, no Santuário Nacional, para realização da 52ª Edição da Assembleia dos Bispos do Brasil, concluiu o encontro com três momentos importantes: a Santa Missa no Santuário; a Sessão Solene aberta aos órgãos de imprensa e a última coletiva com a mesa diretora da CNBB, composta pelo atual Presidente, Dom Raymundo Damasceno, pelo Vice-Presidente, Dom José Belisário da Silva e como secretário, Dom Leonardo Ulrich Steiner.
 
Durante a entrevista coletiva, Dom Raymundo Damasceno, repassou os assuntos tratados pelos bispos ao longo destas duas semanas, destacando os frutos positivos do encontro. Ao falar do Tema Central desenvolvido durante os trabalhos da casa (Comunidade de comunidades, uma nova paróquia), Dom Raymundo resumiu a grande expectativa do episcopado sobre este assunto: “esperamos que as paróquias se tornem cada vez mais missionárias”.
 
Recordou uma vez mais a importância do novo documento sobre a questão agrária, que inicia fazendo uma avaliação geral sobre a situação atual da terra no Brasil, e que passa pelo olhar atento da Igreja no Brasil para com a realidade sofrida das comunidades mais pobres, marginalizadas e excluídas, como os quilombolas, os camponeses, os ribeirinhos, etc.
 
Discorreu, ainda, sobre o que disse ser um tema prioritário desta Assembleia: a missão importante dos cristãos leigos, que, segundo afirmou, constituem 99% dos membros da Igreja. Portanto, 1% dos membros da Igreja, a hierarquia e o clero, de acordo com o Cardeal, existe para o serviço dessa grande maioria que é também chamada a participar ativamente da vida missionária da Igreja.
 
O Presidente da CNBB acenou com destaque o projeto “Pensando o Brasil: desafios para a eleição 2014”, situando que se trata de um “momento importante para a vida democrática do País”. Este documento lançado é, segundo o prelado, uma convocação do cidadão ao senso ético e moral para que, renovando com responsabilidade o cenário de corrupção instalada na gestão pública, se possa levar adiante com seriedade o projeto de reforma política, para qualificação do cenário político brasileiro.
 
Dom Damasceno aproveitou a ocasião para mencionar a publicação de uma mensagem do episcopado brasileiro de solidariedade para com a situação dos novos imigrantes, especialmente – mas não só – os haitianos. Segundo a mensagem, os órgãos governamentais devem tratar com maior dignidade humana “estes nossos irmãos estrangeiros” que vêm ao Brasil com esperança de encontrar solução para o drama da miséria em suas vidas.

Veja Também