Via-sacra inicia as celebrações da sexta-feira da Paixão

0

Recordando o dia que Jesus deixou o mundo para salvar a todos, a sexta-feira da Paixão começou com a celebração da Via-Sacra na Catedral Metropolitana. Para meditar os passos do Nosso Senhor Jesus Cristo em direção ao calvário os fiéis percorram as ruas do centro da cidade em oração.

O diácono Waldecir Rodrigues da Silva conduziu o momento, em entrevista, ele afirmou ser a ocasião “uma oportunidade de refletir sobre a nossa vida e nossa caminhada. O Senhor que tomou para si nossos pecados e carregou a sua cruz, nos convida também, a todos os dias, a nos semelharmos a Ele, na certeza que Ele nos ajuda a carregá-la”.

O arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, esteve no local para orar com os presentes, mas devido ao grande número de pessoas buscando confissão na Catedral, ele optou por se unir aos demais padres em atendimento.

Antes de deixar a Via-Sacra ele falou sobre a importância do dia de hoje:  “o dia de hoje é o dia do amor sublime, supremo. Jesus disse que aquele que tem maior amor e aquele que dá a vida pelos seus irmãos e Ele deu esse exemplo na cruz. Por isso é um dia de reflexão e de muita gratidão”.

Ao longo do percurso, todos se colocaram abertos a meditar sobre os últimos passos de Jesus, sua paixão e morte, rezando e pedindo a Deus, a luz da Campanha da Fraternidade – em que a Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) apresenta em caminho de conversão quaresmal – unidos e pedindo: “Senhor Jesus Cristo, que seu exemplo nos ensine a acolher os pobres e marginalizados, nossos irmãos e irmãs, com políticas públicas justas, e que sejamos construtores de uma sociedade humana e solidária! ”

Todos são convidados a celebrar esse mistério, em tempo de abstinência de jejum, em suas paróquias. Na Catedral ocorre, às 19h, o descendimento da cruz, o sermão e a procissão que vai percorrer as ruas, refletindo sobre aqueles momentos em que o corpo de Cristo foi conduzido para o sepulcro.

Conteúdo Relacionado
X