Vaticano vacinará mais frágeis e vulneráveis na Semana Santa

0

No iminência do Domingo de Páscoa – Ressurreição do Senhor, precisamente durante a Semana Santa, outras doses da vacina Pfizer-BioNTech, adquiridas pela Santa Sé e oferecidas pelo Hospital Lázaro Spallanzani, através da Comissão Vaticana Covid-19, serão destinadas a vacinar 1200 pessoas entre as mais pobres e marginalizadas, que por causa de sua condição são as mais expostas ao vírus.

Ninguém seja excluído da campanha de vacinação

Com a iniciativa, “a fim de concretizar os vários apelos do Papa Francisco para que ninguém seja excluído da campanha de vacinação anti-Covid-19, a Esmolaria Apostólica mais uma vez se faz próxima das pessoas mais frágeis e vulneráveis”, lê-se num comunicado da Esmolaria.

Além disso, para continuar compartilhando o milagre da caridade para com os irmãos mais vulneráveis e dar-lhes a possibilidade de ter acesso a esse direito, será possível fazer uma doação online para “Uma vacina para os pobres”, na conta da caridade do Santo Padre administrada pela Esmola Apostólica (www.elemosineria.va).

Um premente apelo do Santo Padre

Em sua Mensagem para a Solenidade do Natal do Senhor 2020, o Papa Francisco fez um premente apelo:

“Peço a todos: aos responsáveis dos Estado, empresas, organizações internacionais, que promovam a cooperação e não a competição, que procurem uma solução para todos: vacinas para todos, especialmente para os mais vulneráveis e necessitados em todas as regiões do Planeta. Em primeiro lugar, os mais vulneráveis e necessitados!” “Diante de um desafio que não conhece fronteiras, não se pode levantar barreiras. Estamos todos no mesmo barco.”

Já vacinados em janeiro, no Vaticano, vinte e cinco sem-teto

Ademais, sobre o uso da vacina, lê-se ainda no comunicado, “o Pontífice tem repetidamente encorajado as pessoas a se vacinarem, pois é uma forma de exercer responsabilidade para com os outros e o bem-estar coletivo, reiterando fortemente que todos devem ter acesso à vacina, sem que ninguém seja excluído por causa da pobreza”.

Em janeiro passado, quando a campanha de vacinação anti-Covid-19 começou no Vaticano, o Papa Francisco quis que entre as primeiras pessoas a serem vacinadas, fossem mais de vinte e cinco pobres, a maioria sem-teto, que vivem nos arredores da Praça São Pedro e que são atendidos e acolhidos diariamente pelas estruturas de assistência e residência da Esmolaria Apostólica.

Instalações de vacinação na Sala Paulo VI, no Vaticano

A vacinação dos pobres durante a Semana Santa será realizada nas instalações preparadas para tal na Sala Paulo VI, no Vaticano, usando a mesma vacina aplicada ao Papa e aos funcionários da Santa Sé.

Os médicos e agentes de saúde serão os voluntários que trabalham permanentemente na Ambulatório “Mãe de Misericórdia”, localizado sob a colunata de Bernini – da Praça São Pedro -, os funcionários da Diretoria de Saúde e Higiene do Govertorato do Estado da Cidade do Vaticano e os voluntários do Instituto de Medicina Solidária e do Hospital Lázaro Spallanzani.

Fonte: Site Vatican News

Conteúdo Relacionado
X