Tribunal Eclesiástico Interdiocesano de Juiz de Fora ganha novos membros

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na última quarta-feira, 7 de outubro, o prédio da Cúria Metropolitana de Juiz de Fora sediou a posse de sete novos membros do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano e de Apelação. A cerimônia foi conduzida pelo Arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira, e pelo Vigário Judicial, Padre Geraldo Luiz Alves Silva.

Por conta da pandemia, alguns integrantes do Tribunal, sobretudo aqueles pertencentes às dioceses sufragâneas de Leopoldina (MG) e São João del-Rei (MG), entre bispos, padres e leigos, não puderam estar presentes. Segundo Dom Gil, contudo, a participação se deu de forma espiritual.

O Arcebispo explicou que aqueles que seriam empossados terão a incumbência de auxiliar na celeridade da conclusão dos processos. “Nosso Tribunal tem tido muito trabalho. A grande maioria, quase a totalidade dos processos, são matrimoniais, em que as pessoas vêm procurar saber se o casamento que houve foi nulo ou não. Isso depende de tramitação, como sabemos, e esses processos têm aumentado muito ultimamente. E isso precisa ter uma agilidade, porque a celeridade de um tribunal é um ato de caridade com as pessoas que o procuram”, afirmou.

Padre Geraldo demonstrou confiança no trabalho daqueles que chegam para ajudar. “Nós estamos com muita esperança no trabalho e sabemos da competência; todas as nomeações feitas foram muito discutidas, conversadas entre Dom Gil e eu. Esperamos que os senhores possam, de fato, colaborar conosco, e nós, com a ajuda dos senhores, faremos um trabalho grandioso para o Tribunal”.

Retornando de Roma após três anos de estudos e com Mestrado em Direito Canônico, o Padre João Paulo Teixeira Dias foi empossado Juiz do Tribunal Eclesiástico Interdiocesano. Aos padres Cláudio Machado, Pierre Maurício de Almeida Cantarino, Pitágoras de Paula Bandeira e Wellington Guimarães da Silva, além do leigo Carlos Eduardo Paletta Guedes, foi conferido o cargo de Defensor do Vínculo. O Diácono Erivelton Fernando do Amaral, por sua vez, recebeu a função de Juiz Auditor. Após a leitura do Decreto de Nomeação, todos fizeram o Juramento de Fidelidade.

Dom Gil e o Vigário Judicial agradeceram o trabalho de colaboradores que estão se afastando do setor, sobretudo o Padre Augusto Antônio da Silva. Atualmente com 85 anos de idade, o sacerdote pediu renúncia do cargo de Defensor do Vínculo em janeiro deste ano, depois de 21 anos de atuação. Antes mesmo de o Tribunal Eclesiástico de Juiz de Fora ser fundado, em 2004, Padre Augusto trabalhara na Câmara Eclesiástica do Tribunal de Belo Horizonte.

Além dele, despendem-se o Monsenhor Miguel Falabella de Castro, Monsenhor Fábio Rômulo Reis, os padres Liomar Rezende de Moraes, Manoel de Paula Borges, Valdemar Tadeu Ferreira, Mário Sérgio Bittencourt de Carvalho e Mário Luiz Menezes Gonçalves, os diáconos Clesson Millen e Ruy Figueiredo Neves e o notário Pedro Lopes de Lima.

Ao final, os novos membros do Tribunal Interdiocesano conheceram as instalações do setor.

Veja Também