Sessão Sinodal com paróquias do interior marca reta final do II Sínodo Arquidiocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã do último sábado (20), padres e missionários sinodais das paróquias do interior da Arquidiocese de Juiz de Fora participaram de uma sessão sinodal no Edifício Christus Lumen Gentium. Os 36 municípios foram o foco da segunda fase do II Sínodo Arquidiocesano, que será encerrado no dia 20 de novembro.

Na ocasião, os presentes conheceram os resultados dos questionários aplicados nas paróquias e trabalharam em grupos – divididos por foranias – para responderem a perguntas da Comissão Central. O Secretário do II Sínodo, Padre Vanderlei Santos de Sousa, CSsR, explicou o objetivo do encontro. “É também um momento de escuta dos missionários sinodais, dos párocos, daqueles que estão nas diversas cidades, para que, a partir dessas falas e de todo o conteúdo que nós já temos elaborado, possamos fazer a escrita do Documento Sinodal a partir da experiência e da caminhada do Sínodo de 2019. Esperamos que todo esse trabalho gere frutos positivos para a nossa Arquidiocese e que cada vez mais animemos a fé, a esperança e a alegria do povo de Deus.”

O Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, participou de todas as atividades e ressaltou a importância da sessão sinodal. “O nosso Sínodo tem dois endereços: a zona urbana de Juiz de Fora, que tem 600 mil habitantes, e as outras cidades que compõem a nossa Arquidiocese, que são mais 36. Nós temos agora uma fase conclusiva, de muita importância, de ver o que nós vamos projetar para depois do Sínodo. Claro que já há muitas coisas estabelecidas, mas é preciso que os párocos e os representantes das paróquias tenham unidade e conhecimento daquilo que se propõe na construção do reino de Deus no nosso meio, da edificação dessa Igreja tão linda que é a nossa Arquidiocese de Juiz de Fora sempre em missão.”

O Administrador da Paróquia Santo Antônio de Chiador (MG), Padre Kayo Cerqueira de Paiva, falou da alegria do encontro presencial após o período de restrições da pandemia. “Reencontrar as pessoas resgata o sentido mais original de Sínodo, que é o caminhar juntos, estar juntos, rezar juntos, pensar juntos caminhos para a nossa Igreja, sobretudo na realidade rural, do interior.” No mesmo sentido, a missionária sinodal de Chiador, Ana Flávia Fernandes Alvim, comentou que os “momentos de partilha e de convivência entre os irmãos das paróquias do interior é muito importante, porque reforça a unidade da nossa Igreja e o espírito do Sínodo, que é caminhar juntos”.

Lília Gonçalves de Almeida, da Paróquia São José, de Bicas (MG), falou sobre a experiência sinodal em sua cidade. “A importância do Sínodo é bastante significativa no sentido de a gente conhecer a realidade das nossas paróquias, saber as necessidades das comunidades, enfim, viver plenamente a palavra de Cristo, o que está escrito na Bíblia e levar o evangelho àqueles que precisam. Na nossa paróquia, em particular, está sendo uma experiência muito incrível de conhecimento, de expansão nas comunidades, de trazer para o seio da Igreja mais fiéis.”

O encontro foi encerrado com uma celebração de envio, na capela do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, e um almoço de confraternização. Clique aqui e confira mais fotos.

A próxima sessão sinodal, desta vez envolvendo padres e leigos das paróquias de Juiz de Fora, está marcada para o dia 8 de outubro.

Veja Também