Saudade da Missa presencial: Padre de Juiz de Fora divulga música sobre sentimento compartilhado por fiéis

0

Há cerca de dois meses, o Padre João Francisco Batista da Silva, Administrador da Paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus, em Juiz de Fora, divulgou em suas redes sociais uma canção, de sua autoria, inspirada nas mudanças que a pandemia do novo coronavírus acarretou na rotina de todos. O sacerdote, formado em História da Igreja e especialista em Música Sacra, é o atual regente do Coral Arquidiocesano Benedictus.

Intitulada “Estou aqui, Senhor”, a música é dedicada àquelas pessoas que sentem falta de participar presencialmente da Santa Missa. “Eu estou em casa, mas sei que meu papel como padre, neste momento, é também dar um suporte espiritual às pessoas, especialmente à porção do rebanho de Cristo pela qual eu estou responsável diretamente, que é a Paróquia Mãe de Deus. Eu fiquei pensando nas pessoas com quem me encontrava toda semana, todo domingo, com hora e lugar marcados. A igreja é um lugar de encontro. Sinto muita falta da missa com a comunidade. Mas eu precisava chegar até essas pessoas”, conta o sacerdote.

“Que saudade eu tive, ó Pai, em Sua casa eu sou feliz”, diz um trecho da canção. Padre João Francisco revela que ela não é uma composição atual, apesar de se encaixar perfeitamente na situação. “Essa música se encontra entre as iniciativas que o Espírito Santo foi me inspirando para continuar levando a Palavra da consolação até meus irmãos. Não é uma composição de agora. Eu a compus quando estava em Roma num período de estudos, com saudades de casa, da minha família, dos meus amigos. Então, encontrei no texto do Evangelho de Lucas 15, na passagem do filho pródigo, uma iluminação para entender aquele sentimento”.

E é exatamente esta emoção que o padre ressalta. “Saudade é a memória ativa do coração, que nos mostra onde estão fincadas nossas raízes. Saudade é também uma bússola, que me mostra onde está ancorado meu coração. E saudade é uma homenagem que você, no silêncio, presta às pessoas amadas. Mas saudade é ainda mais: é um anzol, uma isca que Deus lança na alma de alguém para fisgá-la por dentro e para sempre. Assim disse Jesus: ‘Quando eu for elevado, atrairei todos a mim’ (Jo 12,32). E é assim que Ele nos atrai, pela saudade”, finalizou.

Sobre a falta que os fiéis sentem da Eucaristia presencial, Padre João Francisco afirma que essa distância momentânea não separa ninguém de Deus. “Eu tenho visto as pessoas com saudade de ir à missa, de participar da comunhão. E isso é muito importante. Não é triste. Mostra que a Eucaristia é algo que integra a vida delas. Ruim seria se ninguém sentisse falta. Mas sentem. Que bom. E isso significa que o coração das pessoas está ligado a Deus. Significa que elas construíram uma relação tão íntima com Senhor que chegam a chorar de saudade. Mas eu quero lembrar que só o pecado pode nos afastar de Deus. Quero lembrar que Deus mora no nosso coração, então nós nunca poderemos estar longe d’Ele”.

O sacerdote ainda diz que a música é um convite a dar sentido novo à a saudade, que não pode, segunda ele, se tornar ansiedade, agitação ou tristeza. “Vamos transformar a saudade num culto espiritual a Deus, em incenso que exala perfume de amor e desejo de Deus”. E completou: “Eu acredito que, diante desse sentimento tão sublime de saudade, a interpretação deste salmo fica muito mais fácil: ‘um só dia, Senhor, em vossa casa, vale mais do que milhares fora dela’ (Sl 83,11). Será muito bom poder voltar a celebrar na igreja, com a comunidade ali presente. Mas, por enquanto, façamos da nossa casa um lugar de oração”. Vale lembrar que, na última semana, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, facultou às paróquias a reabertura das igrejas e a participação de 30 fiéis nas missas, mas estimulou a continuidade das transmissões da Eucaristia através das redes sociais.

Somente nos meses da pandemia, Padre João Francisco divulgou outras cinco canções em seu perfil no YouTube. “Neste tempo que tenho ficado mais em casa, por causa do distanciamento social, tenho aproveitado para rezar mais e meditar. A música nasce espontaneamente, como louvor a Deus, e principalmente como síntese espiritual, como processamento da obra que Deus realiza na minha vida”.

Aqueles que acompanham a conta do padre na rede social também têm a oportunidade de acompanhar momentos de oração, reflexão e as transmissões da Santa Missa, diretamente da Igreja Matriz Nossa Senhora Mãe de Deus.

Confira a música “Estou aqui, Senhor”:

Conteúdo Relacionado
X