Projeto Igrejas-irmãs articula revitalização

0

*Com informações do do site da CNBB

Animando a missionariedade e a colaboração mútua entre Igrejas particulares no Brasil desde 1972, o projeto Igrejas-irmãs será revitalizado, com a revisão e atualização de suas perspectivas. É o que foi proposto no encontro realizado em Belém (PA), nos dias 17 e 18 de novembro.

Várias ideias foram apresentadas na ocasião, quando 53 bispos, 22 padres, 11 leigos, três religiosas e dois diáconos avaliaram a caminhada dos projetos Igrejas-Irmãs no Brasil, resgataram o histórico e o itinerário desses projetos, celebraram e valorizaram os passos dados e as conquistas; e identificaram os desafios atuais.

O encontro realizado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária e a Cooperação Intereclesial da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) serviu para iluminar a caminhada realizada na perspectiva da animação e cooperação missionárias e perceber novas perspectivas para o encaminhamento futuro do projeto Igrejas-Irmãs, do qual fazem parte principalmente dioceses e prelazias da região Amazônica. Neste sentido, a Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB foi parceira na realização do encontro.

Dezesseis propostas surgiram do encontro sobre as Igrejas-irmãs. Entre elas, levar em conta as realidades sociais, ambientais e urbanas da Amazônia, bem como o avanço organizado e articulado do neopentecostalíssimo; aprofundar o sentido do envio do missionário; esclarecer as responsabilidades de cada Igreja em relação ao envio e acolhida de missionários; definir melhor a participação de leigos no processo missionário; fortalecer a consciência missionária em toda a diocese; e incentivar os Conselhos Missionários.

As propostas ainda visam incentivar a visita de bispos, padres e leigos de uma Igreja-Irmã à outra; a colaboração para que a Igreja particular que recebe a ajuda alcance sua sustentação; a preparação de seminaristas, enfatizando as experiências missionárias, em especial de férias, para que sejam instrumentos de fortalecimento do impulso missionário; e a participação da Organização dos Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil (Osib) e do Conselho Nacional dos Presbíteros (CNP) no projeto.

Também foram ressaltadas indicações voltadas para a formação de lideranças e oferta de cursos específicos para os missionários, a partir do que já está disponível no Centro Cultural Missionário e nos institutos em Manaus, Belém e Porto Velho. Haverá ainda o levantamento dos missionários Ad Gentes, com a procura de ação conjunta com as novas comunidades envolvidas na missão além-fronteiras. Especial atenção será dada aos migrantes e pessoas que sofrem com o tráfico humano.

Os participantes do encontro pretendem abordar a temática em uma Assembleia Geral da CNBB.

Arquidiocese de Juiz de Fora e Diocese de Óbidos/PA

A Arquidiocese de Juiz de Fora participa do projeto Igrejas-Irmãs da CNBB em parceria com a Diocese de Óbidos, do Pará. Nesta diocese, nossa Igreja Particular é responsável pela Paróquia São Martinho de Lima, atualmente conduzida pelo Padre Leonardo Loures, que conta com o auxílio do Padre Jorge Duarte e de leigos missionários.

Na última semana, o arcebispo metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, participou do encontro em Belém/PA, juntamente com o bispo diocesano de Óbidos, Dom Bernardo Johannes Bahlmann.

Outras informações:
Assessoria de Comunicação Arquidiocese de Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Conteúdo Relacionado
X