Peregrinação nacional francesa ao Santuário de Lourdes acontece de forma diferente

0

Não será nos moldes da clássica Peregrinação Nacional Francesa ao Santuário de Lourdes, agora em sua edição 147. Devido à pandemia, o evento – que tem um título profético: ‘Ir à fonte do amor ‘- prevê a participação de um número restrito de peregrinos, ao contrário das multidões oceânicas dos anos anteriores.

A Conferência Episcopal francesa informou que uma delegação – representando todos os fiéis, os enfermos e os doentes hospitalizados que não podem participar – “terá também a tarefa de prestar assistência às pessoas no local”.

Presença do secretário de Estado do Vaticano

Embora o vírus tenha limitado o número de participantes, a tradição, no que diz respeito aos eventos, será respeitada: como sempre foi, o programa é repleto de celebrações, haverá a recitação do Santo Rosário, procissões, testemunhos, reflexões sobre as Sagradas Escrituras, mas também sociais e espirituais, vigílias, orações na Gruta de Massabielle e concertos.

No dia da Solenidade da Assunção – 15 de agosto – a Celebração Eucarística será presidida pelo cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano.

Acolhida especial

 “A peregrinação nacional francesa – recorda o padre Nicola Ventriglia, capelão do Santuário de Lourdes – é organizada pela Congregação das Assuncionistas. Para aqueles peregrinos que participam, foi preparada uma recepção calorosa, quase especial: eles devem se sentir em casa. Afinal, o Santuário mariano é a casa de Maria e como casa de Maria é a casa de todos nós”.

Não faltarão celebrações internacionais, porque – recorda padre Ventriglia – Lourdes é um Santuário mundial: “Mesmo que a peregrinação seja francesa, há celebrações em várias línguas. Mas não só. A consagração ao coração de Maria também será muito bonita”.

Piscinas reabertas, um sinal de normalidade

 Durante a peregrinação haverá um sinal importante do lento retorno ao normal: as piscinas estarão abertas. “Porém, ainda não será possível tomar banho – especifica padre Ventriglia-. Mas você pode seguir um roteiro em torno delas que terminará com o gesto da água: com a ajuda da nossa equipe, os peregrinos poderão tomar um pouco de água ou se lavar. Assim como Maria proporcionou a Bernadete uma boa experiência, também nós queremos que os fiéis presentes se sintam bem”.

Presença do Cardeal Parolin, motivo de encorajamento

 No sábado, 15 de agosto, às 10h00, a celebração da Solenidade da Assunção de Maria ao Céu será presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. “Sua presença – acrescenta Pe. Ventriglia – representa um alento para nós, em um momento tão difícil. Sua presença também nos traz a proximidade do nosso amado Santo Padre”.

Fonte: Site do Vatican News

Conteúdo Relacionado
X