Partilha da vivência no período pandêmico é destaque da 1ª reunião presencial dos Diáconos Permanentes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Os diáconos permanentes da Arquidiocese de Juiz de Fora se reuniram, no anfiteatro do Seminário Santo Antônio, no último sábado, dia 2 de abril. O objetivo principal do encontro, em consonância com o II Sínodo Arquidiocesano, foi de avaliar os trabalhos diaconais realizados nas paróquias e trocar experiências relacionadas ao campo pastoral.

Momento de oração no início do encontro

Segundo o Presidente da Comissão Arquidiocesana de Diáconos (CAD), Diácono João Roberto da Silva, a ideia foi de promover a interação entre os diáconos que não se reuniam presencialmente há mais de dois anos. “ O propósito é mostrar para cada um viveu neste período de pandemia e transmitir as experiências que tiveram, para juntos somarmos para um Igreja mais unida, mais cristã, onde o diácono é um servidor, tal como o exemplo de Cristo”, explicou ele. Além disso, ele recordou que encontros periódicos são uma orientação dada no Estatuto Jurídico dos Diáconos.

Para o diácono Manoel Espedito da Cunha, que atua como Relações Públicas da CAD, o momento gerou mais do que uma grande satisfação. “ Estou muito emocionado. É como se estivéssemos naquela Igreja primitiva onde os apóstolos se reuniam partiam o pão e oravam; conheciam o coração e a alma de cada um. Como servidor estamos aqui prontos para obedecer, mas também cheios do Espírito Santo, cheios de amor para dar. É uma reunião de muita emoção porque depois de tanto tempo nós voltamos a nos encontrar e sabemos que todos estão bem, graças a Deus”, contou ele.

Membros da Comissão Arquidiocesana de Diáconos

Também esteve presente o Vigário Geral da Arquidiocese, Monsenhor Luiz Carlos para acompanhar e orientar as pautas. Ele considerou positivo o encontro. “O momento é bonito, é importante. Nós teremos aqui uma avaliação da caminhada, algumas orientações para o trabalho deles”.

Além disso, ele explicou que diaconato permanente é um trabalho muito importante na nossa igreja. “É o sinal sacramental do Cristo servo, é a igreja servidora é a igreja que vive a misericórdia que vive a caridade que vive o compromisso a defesa da vida”.

Na Arquidiocese de Juiz de Fora atuam 48 diáconos permanentes. Em grande parte das paróquias. Segundo o Vigário Geral um trabalho muito bom é feito por eles, ajudando as comunidades e sacerdotes, atendendo e fortalecendo a Igreja.

Veja Também