Paróquia Santo Antônio do Paraibuna lança cartaz e programação da festa do padroeiro

0

A Paróquia Santo Antônio do Paraibuna lançou, na última segunda-feira (22), o cartaz da festa de seu padroeiro, celebrado em 13 de junho. Em 2019, a festividade terá como tema “A exemplo de Santo Antônio, somos enviados em missão no mundo”.

Tal destaque foi escolhido levando em conta uma das prioridades pastorais da paróquia neste ano: a missão. Além disso, busca estar em sintonia e unidade com o atual apelo da Igreja. O tema foi inspirado no tema do Mês Extraordinário Missionário convocado por Papa Francisco para o próximo mês de outubro, “Enviados e batizados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”, e lembra ainda a preparação para o II Sínodo Arquidiocesano.

“Queremos levar a todos a reflexão sobre a ação missionária da Igreja, através dos seus membros, tendo como exemplo o nosso padroeiro Santo Antônio, que percorreu todo o Norte da Itália e o Sul da França pregando com alegria o Evangelho”, ressalta o pároco, Padre Leonardo Loures.

O cartaz indica que a programação festiva começa em 31 de maio, com a tradicional Trezena de Santo Antônio. Haverá missas todos os dias às 19h30. Em 13 de junho, as celebrações serão às 9h, 15h e 18h. “O cartaz de nossa festividade tem o dourado como cor de fundo, que representa toda a riqueza da pregação do nosso padroeiro. Temos o Mapa Mundi fazendo referência ao tema da festa, onde temos a missão de levar o evangelho em todo o mundo, saindo de nossa comodidade, abrindo nossas portas para a missão universal da Igreja”, explica o sacerdote.

Padre Leonardo também fala das principais características do padroeiro da paróquia e da Arquidiocese de Juiz de Fora. “O cartaz nos traz a imagem de Santo Antônio dos pobres, fazendo referência a uma de suas maiores virtudes, a caridade. Como grande missionário, Antônio teve esse olhar para a dor do próximo. Comovido com a situação dos pobres, distribuía entre eles todo o pão do convento”.

O pároco da Paróquia Santo Antônio do Paraibuna conclama todos a serem como o santo português. “Assim como ele, queremos ser missionários e nos debruçarmos, como o Bom Samaritano, sobre as adversidades de todos, de forma especial dos mais pobres e necessitados, porque quem ama com o Coração de Cristo não busca o seu próprio interesse, mas unicamente a glória do Pai e o bem do próximo. Aqui está o segredo da fecundidade apostólica da ação missionária, que ultrapassa as fronteiras e as culturas, alcança os povos e se espalha até aos extremos confins do mundo”, finaliza.

*Colaboração: Padre Leonardo Loures

Conteúdo Relacionado
X