Obra de Apostolado Santa Edwiges recebe doações de roupas e cobertores do Exército

0

Na tarde da última quarta-feira (17), a Obra de Apostolado Santa Edwiges (OASE), localizada no Bairro Bairu, em Juiz de Fora, recebeu doações da 4ª Brigada de Infantaria Leve (Mth) do Exército Brasileiro, também situada na cidade. A ação social, que completou 13 anos no dia 26 de abril, atende, no contraturno escolar, crianças e adolescentes em estado de vulnerabilidade social que moram nos bairros adjacentes.

A Campanha do Agasalho “Montanhista Solidário” arrecadou cerca de cinco mil peças de roupas e 300 cobertores. Participaram da iniciativa, além da 4ª Brigada, o Colégio Militar, o Depósito de Suprimento (4º D Sup), a Inspetoria de Contabilidade e Finanças do Exército (4ª ICFEx) e outras organizações militares (OM’s) da cidade. O Oficial Adjunto de Comunicação Social da 4ª Brigada, Tenente-Coronel Wendell Xavier de Oliveira, esteve presente na entrega dos donativos representando o comandante da 4ª Brigada, General Álcio Costa.

O Presidente da OASE e Pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus (onde a obra está sediada), Padre Renato Alves Rodrigues, trabalhou como Capelão Militar durante muitos anos e conta que este contato anterior facilitou a doação. “Por eu ser o antigo capelão da 4ª Brigada e ele saber da lisura do nosso trabalho, eu creio que isso foi tudo levado em consideração. É uma doação que a gente recebe com muito carinho e agradece imensamente ao General Álcio Costa e a toda a família militar da nossa guarnição de Juiz de Fora”.

Segundo a Diretora-Administrativa da Obra de Apostolado Santa Edwiges, Alessandra Cristina de Castro, antes da pandemia eram atendidos, todos os dias, no local, 52 crianças e adolescentes. “Eles chegam aqui pela manhã, são acolhidos, tomam café, participam das oficinas pedagógicas, almoçam e vão para a escola. Os que vêm na parte da tarde, chegam, lancham, participam das atividades e depois recebem um outro lanche antes de irem embora”. Além da alimentação, o local oferece reforço escolar, orientação pedagógica e oficinas de informática, capoeira, artesanato, violão e escolinha da fé.

O auxílio às famílias continua mesmo com a paralisação das atividades, conta Alessandra. “Infelizmente nesse período de pandemia nossas atividades estão suspensas devido ao distanciamento social, mas nós continuamos atendendo, fornecendo alimentos, kits de higiene pessoal e limpeza. Nós continuamos dando assistência para as famílias que estão devidamente cadastradas em nossa obra social”.

No momento da entrega das doações pelo Exército, Dona Maria Milda Guimarães Silva, avó de uma das crianças atendidas pela OASE, esteve presente e compartilhou a alegria de contar com a obra, da qual também recebe cestas básicas. “Essa obra é muito boa para mim, porque eu crio sozinha uma netinha. Ela vem para cá às 8h30, almoça e daqui já vai para o outro colégio, o Francisco Bernardino, onde frequenta o 4º ano. Ela não sabia ler, aprendeu aqui. Ela chora para vir para cá, porque é bem recebida, bem tratada. É uma bênção”, contou, emocionada.

Há mais de uma década, Alexiana Ferreira da Costa é voluntária no bazar da Obra de Apostolado, da qual dependeu durante muitos anos para cuidar de sua filha. “Ser socorrida e depois de 20 anos ser chamada para fazer parte como voluntária é uma bênção. Aqui somos uma grande família, que vive sempre em comunhão. Estamos sempre ajudando uns aos outros. O mais importante na vida da gente é poder servir”, finalizou.

A presidente da Conferência Santa Luzia da Sociedade de São Vicente de Paulo (SSVP), Ladimar Ambrósio de Araújo, também participou do momento. Isso porque as doações recebidas pela OASE são repassadas às 11 famílias hoje atendidas pelos vicentinos na região, além das pessoas em situação de rua.

A Obra de Apostolado, de acordo com sua Diretora-Administrativa, sobrevive da caridade da população, principalmente dos devotos de Santa Edwiges. “Nossa Obra de Apostolado Santa Edwiges está se sustentando através de importantes e valiosas doações durante este período de pandemia. Mesmo não tendo as Missas todo dia 16, que é dedicado à nossa padroeira, os devotos e voluntários estão se mantendo fiéis”.

Durante a pandemia, em que a Obra de Apostolado Santa Edwiges enfrenta dificuldades para continuar atendendo às famílias, empresas de Juiz de Fora também fizeram doações. Para o Vice-presidente da OASE, Sebastião Alves, em meio à solidão característica deste momento, brotam atitudes de solidariedade. “As pessoas estão ajudando mais, estão abrindo os seus corações para que nossa obra não pare. Nós queremos agradecer de coração a todos que estão fazendo essa nossa obra acontecer”.

Os interessados em ajudar podem levar doações na sede da instituição, que fica na Rua Américo Luz, ao lado da Matriz Sagrado Coração de Jesus, no Bairu. Também é possível entrar em contato através do telefone (32) 3225-8988. As principais necessidades são por alimentos não-perecíveis e produtos de limpeza.

Conteúdo Relacionado
X