O Papa: a oração é o remédio da fé, o reconstituinte da alma

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na oração do Angelus deste domingo (16), o Papa Francisco iniciou recordando uma preocupação de Jesus: “Mas quando o Filho do Homem voltar, encontrará a fé sobre a terra?” (Lc 18,8). Francisco disse que é uma pergunta séria. “Imaginemos que o Senhor venha hoje à Terra. Ele veria, infelizmente, tantas guerras, pobreza e desigualdades”. Mas principalmente perguntou o Papa: “o que ele encontraria em mim, na minha vida, no meu coração? Que prioridades veria?”

Oração constante

O Papa destacou que é importante não negligenciarmos o que mais importa deixando que nosso amor por Deus se esfrie opuco a pouco. E sugeriu:

“Hoje Jesus nos oferece o remédio para aquecer uma fé ressequida. E qual é? A oração. Sim, a oração é o remédio da fé, o reconstituinte da alma. Porém, deve ser uma oração constante”

Em seguida disse que a constância significa “nutrir” todos os dias como uma planta, senão a nossa fé pode “entrar em letargo” e secará. E fazendo analogia com a planta disse ainda para dedicarmos tempo a Deus, com orações. Assim Ele pode entrar em nosso tempo; precisamos de momentos constantes nos quais lhe abrimos nossos corações, para que Ele possa derramar sobre nós todos os dias amor, paz, alegria, força, esperança; isto é, nutrir a nossa fé. Então o Papa ponderou, que alguns poderiam objetar: “Como eu faço? Não vivo em um convento, não tenho muito tempo para rezar”.

Orações Jaculatórias

“Pode vir em nosso auxílio, uma prática espiritual sábia, mesmo que hoje seja um pouco esquecida, que nossos idosos, especialmente as avós, conhecem bem: a das chamadas orações jaculatórias. O nome é um pouco ultrapassado, mas a substância é boa”

E Francisco explicou que “são orações muito curtas, fáceis de memorizar, que podemos repetir com frequência durante o dia, no decorrer das várias atividades, para ficar “em sintonia” com o Senhor. Dando em seguida alguns exemplos: “Assim que acordamos, podemos dizer: ‘Senhor, eu te agradeço e te ofereço este dia’; depois, antes de uma atividade, podemos repetir: ‘Vem, Espírito Santo’; e entre uma coisa e outra, podemos rezar assim: ‘Jesus, eu confio em ti e te amo’. Com quanta frequência enviamos ‘pequenas mensagens’ às pessoas que amamos! Façamos isso também com o Senhor, para que os nossos corações permaneçam conectados a Ele”.

E concluindo disse ainda “Não nos esqueçamos de ler Suas respostas. P Senhor responde sempre. Onde podemos encontrá-las? No Evangelho, que deve estar sempre à mão para ser aberto todos os dias, para receber uma Palavra de vida dirigida a nós”. Por fim disse ainda: “E voltemos ao conselho que já dei muitas vezes: tenham sempre um pequeno Evangelho de bolso consigo, em sua bolsa, e assim, quando tiver um minuto, abra-o e leia algo, e o Senhor lhe responderá”.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também