“O aspecto religioso do povo brasileiro é marcante”, afirma Parolin

Foto: Daniel Xavier/CN
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Teve início nesta quarta-feira (10), a 61ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Realizada no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (SP), a temática central do evento será voltada à atualização das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE).

O secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, integrou a mesa desta primeira coletiva de imprensa da AG. Dom Denilson Geraldo, bispo auxiliar de Brasília, ficou responsável pela tradução das palavras do cardeal Parolin, que deu início à conversa com os jornalistas abordando o caráter diplomático desta sua viagem ao Brasil. Ele confirmou um encontro com o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

“Tratamos de alguns temas locais, especialmente da relação da Igreja com o Estado e do acordo do Brasil com a Santa Sé”, esclareceu o cardeal. “Tratamos de outros temas também, como a pobreza, pois faz parte do trabalho da Igreja e da evangelização”. A promoção da paz mundial também foi lembrada no encontro entre as duas autoridades.

O número de bispos no País e a força da evangelização também foram lembrados pelo Secretário de Estado do Vaticano. “O aspecto religioso do povo brasileiro é muito marcante”, enalteceu o cardeal.

O Santo Padre enviou uma mensagem à assembleia dos bispos e enalteceu o processo evangelizador no País e na América Latina, mas também demonstrou preocupação com o processo de secularização, afirmou o religioso. “As pessoas às vezes agem como se Deus não existisse e este é um grande desafio [à Igreja]”, reiterou.

Força jovem

Questionado a respeito da força jovem da Igreja no Brasil e o desafio da evangelização junto a este público específico, o cardeal ressaltou que o desafio é chegar a eles. “O trabalho pessoal de escuta e acompanhamento dos jovens e o que o Santo Padre sempre insiste, o método prático, os jovens precisam”, detalhou Parolin.

Início da Assembleia

A 61ª edição da AG teve início com uma Missa presidida por Dom Jaime Spengler, presidente da CNBB e arcebispo de Porto Alegre (RS). Dom João Justino, Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa e Dom Ricardo Hoerpers foram os concelebrantes. A abertura da primeira sessão contou ainda com o cardeal Pietro Parolin e do Núncio Apostólico no Brasil, Dom Giambattista Diquattro.

Além da realidade da Igreja no País e a ação evangelizadora, a Assembleia colocará em pauta o Sínodo dos Bispos, Jubileu 2025 e Juventude entre outros. A Assembleia chega ao fim na próxima sexta-feira, 19 de abril.

Fonte: Site da Canção Nova

Tags:

Veja Também