No mês vocacional, Padre Luciano Bonato completa 25 anos de sacerdócio

No final da Missa, todos cantaram parabéns para o padre, com direito a "velinha" e benção.

Na última quarta-feira (3), na Quase-Paróquia Nossa Senhora Aparecida, foi celebrada a Missa em Ação de Graças pelo Jubileu de Prata do Padre Luciano Bonato, que esteve a presente da comunidade por sete anos. A Eucaristia, presidida por Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo de Juiz de Fora, contou com a presença de diversos sacerdotes, amigos e membros de outras comunidade por onde passou.

Como dizia Monsenhor Miguel Falabella, “padre por insistência”, Luciano entrou para o seminário ainda jovem, no entanto, optou pelo magistério e atuou na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) por muitos anos. Aos 50 anos de idade, atentou o chamado ao sacerdócio.

“Foram 25 anos de intensas atividades. Fui ordenado por Dom Ricardo, na Diocese de Leopoldina, lá eu trabalhei durante alguns anos, inclusive como Reitor do Seminário Maior Nossa Senhora de Guadalupe, um momento muito importante na minha vida de padre novo, embora de idade mais avançada. Depois eu vim para a Diocese de Juiz de Fora, em razão da doença de minha mãe, e aqui permaneci até hoje”, relatou o padre.

Dentre os concelebrantes esteve Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, ele foi professor do aniversariante do dia, no final dos anos 1960. “É uma alegria celebrar essa data. Eu conheci Luciano ainda jovem, em 1968/69. Ele estudava na Floresta e eu fui professor dele de História da Catequese. Depois ele saiu, ficou professor universitário. Depois de bastante tempo, aos 50 anos, ele quis ser ordenado, até me procurou antes para conversar, buscando uma palavra de apoio”, contou o Bispo Emérito do Sorocaba, que acabou colaborando positivamente desse processo de discernimento.

Durante a homilia, o Arcebispo falou sobre as vocações e como Deus ama os escolhidos, os enviando para o amor. Parabenizou Padre Luciano e recordando as palavras de Dom Beni, pregador do último Retiro do Clero, desejou que ele tenha gratidão pelo passado, não pare de ter paixão pelo que faz, anuncie sempre, com sua vida de padre, a esperança.

Inspiração

Atualmente padre Luciano é um padre emérito, não administra uma paróquia, mas celebro constantemente, sua missão de padre até a morte, como ele mesmo disse em entrevista. Isso se deve a sua idade mais avançada. No entanto, a história de um padre ordenado em idade adulta é menos comum e exemplo para aqueles que acham que não há tempo para ouvir seu chamado.

Para o Ecônomo e Formador do Propedêutico do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio, Pe. Welington Nascimento de Souza, este mês é tempo de celebrar a própria vocação à vida, que é dom de Deus. “Deixo essa mensagem de benção, de alegria para a vida de todo o sacerdote que vai estar celebrando o mês vocacional e também para você, meu irmão, minha irmã, sua vocação é a vida; o mês vocacional também é o seu mês, de rezar, de agradecer a Deus, pelo seu chamado. E você, Deus está te chamando também, para fazer um discernimento para uma vocação especifica. Venha fazer esse caminho bonito”.

Gratidão

Ao final da Santa Missa, tradicionais homenagens foram feitas ao Pe. Luciano. Descrito como um homem de jeito austero e até bravo, mas um coração cheio de amor, foi possível notar o carinho da comunidade e o quanto serviu o povo. Fatos que ele mesmo atestou em seu agradecimento final, “procurei servir a Igreja com muito carinho e amor”, afirmou ele.

“Agradecemos a Nosso Senhor todos os benefícios concedidos a Igreja por meio dele. Ser padre é muito bom e ele celebra justamente essa alegria de ser inteiramente de Deus e em favor da Igreja. Parabéns Padre Luciano e parabéns povo de Deus que recebeu esse sacerdote para prestar o serviço que Nosso Senhor esperava”, comentou Dom Gil.

Veja Também