No Angelus em Malta, Papa recorda tragédia humanitária na Ucrânia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Ao final da Missa celebrada na manhã deste domingo na Praça dos Celeiros em Floriana, o Papa agradeceu as palavras a ele dirigidas pouco antes por Dom Charles Jude Scicluna, mas também ao presidente da República, autoridades, bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas “e a todos os cidadãos e fiéis de Malta e de Gozo pelo acolhimento e os carinhos recebidos”, recordando que após o encontro com os irmãos migrantes, chegaria a hora de regressar a Roma, “mas levarei comigo muitos momentos e palavras destes dias”:

Sobretudo conservarei no coração muitos rostos, e o rosto luminoso de Malta! Agradeço também àqueles que trabalharam para esta visita, e desejo saudar cordialmente os irmãos e as irmãs de várias confissões cristãs e religiões que encontrei nestes dias. Peço a todos que rezem por mim; eu farei o mesmo por vós. Rezemos uns pelos outros!

Nestas ilhas – disse Francisco – respira-se o sentido do Povo de Deus, acrescentando:

Continuai assim, lembrando-vos de que a fé cresce na alegria e reforça-se no dom. Dai continuidade à corrente de santidade que levou tantos malteses a doarem-se com entusiasmo a Deus e aos outros. Penso em Dun Ġorġ Preca, canonizado há quinze anos.

Por fim, dirigiu uma palavra aos jovens, “que são o vosso futuro”:

Queridos amigos, partilho convosco a coisa mais bela da vida. Sabeis qual é? É a alegria de gastar-se no amor que nos faz livres. Mas esta alegria tem um nome: Jesus. Almejo-vos a beleza de vos enamorardes de Jesus, Deus da misericórdia, que crê em vós, sonha convosco, ama as vossas vidas e nunca vos decepcionará.

Antes de rezar o Angelus, dirigiu o olhar a Nossa Senhora, renovando o pedido pela paz na Ucrânia:

Que o Senhor vos acompanhe e Nossa Senhora vos guarde. A Ela rezemos agora pela paz, pensando na tragédia humanitária da atormentada Ucrânia, ainda sob os bombardeamentos. Não nos cansemos de rezar e ajudar quem sofre. A paz esteja convosco!

Fonte: Site Vatican News

Veja Também