Iniciativas da Comissão Episcopal para a Juventude neste mês dedicado às vocações

0

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude está envolvida nas iniciativas do Mês Vocacional. Os jovens da Pastoral Juvenil poderão acompanhar uma série de testemunhos e reflexões sobre vocação no site Jovens Conectados, a partir da inspiração na exortação apostólica Chritus Vivit (Cristo Vive). Para este mês de agosto, o bispo de Valença (RJ) e presidente da Comissão, dom Nelson Francelino Ferreira, também escreveu sobre a temática.

A série de testemunhos e reflexões recebeu o nome de “Nossa vocação” e pretende apresentar histórias de pessoas que escolheram como opção de vida “ser para os outros”, numa expressão de “amor especial pelas juventudes e que se dispõe em acompanhar os jovens no discernimento vocacional”.

É o caso dos padres Antônio Ramos do Prado, assessor da Comissão, e Alcindo Martins, da diocese de Duque de Caxias (RJ). Os dois estão envolvidos em iniciativas de acompanhamento vocacional para os jovens e foram personagens na primeira matéria da série.

Em comentário enviado ao Portal da CNBB, padre Toninho lembra que oferta reflexões sobre vocação e juventude, tendo como ponto de partida a ideia de que este mês remete “a um profundo encontro com Deus – autor de todas as vocações”.

“O primeiro chamado que Deus nos faz é a vida. Entender e amar a vida é condição primeira para sobrevivermos. Em tempos de perda do sentido da vida no cenário juvenil somos provocados a buscar respostas do porquê isso está acontecendo”, afirma.

Diante de questionamentos sobre o sentido da vida e o distanciamento de Deus por parte dos jovens, padre Toninho analisou o contexto da sociedade, das famílias e da Igreja para apontar uma ação em vista de ação pastoral voltada para os jovens.

“A Evangelização das juventudes precisa atingir as diversas vocações: família, sacerdote, leigos, religiosos e catequistas. Ajudar a encontrar um eixo central no contato com o jovem; Ressignificar o conceito que os jovens têm de Deus. Para isso se faz necessário uma pastoral da escuta para os jovens falar sobre o que buscam. Depois traduzir o conteúdo da Igreja em linguagem que seja entendida pelos jovens. Ajudar os jovens serem influenciadores digitais na Evangelização de outros jovens. Creio esse conjunto de pensamentos e ações poderiam ajudar os jovens a viverem”.

Christus Vivit

A exortação apostólica do papa Francisco que foi fruto do último sínodo, o qual refletiu sobre o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, possui indicações para o acompanhamento dos jovens. São três sensibilidades fundamentais para aqueles que desempenham este serviço:

  1. Sensibilidade à pessoa, que te trata “de escutar o outro, que se nos dá com as suas palavras ( CV 292);
  2. Sensibilidade no discernir, que se refere ao “individuar o ponto certo onde se discerne o que é a graça e o que é tentação” (CV 293);3. Sensibilidade em escutar os impulsos “para diante”: “É a escuta profunda do ponto «para onde o outro quer verdadeiramente ir” (CV 294).
  3. Sensibilidade em escutar os impulsos “para diante”: “É a escuta profunda do ponto «para onde o outro quer verdadeiramente ir” (CV 294).

É a partir desta proposta que, a cada semana serão apresentados testemunhos de pessoas que escolheram acompanhar os jovens no discernimento vocacional.

Fonte: Site da CNBB

Conteúdo Relacionado
X