Gratidão e alegria marcam o Centenário da paróquia de Matias Barbosa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Matias Barbosa, encerrou sua festa do centenário de instalação da paróquia no último dia 4 de setembro com Missa presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira. A Eucaristia, realizada na quadra da Associação Atlética Matiense, foi concelebrada pelo Pároco local, Pe. Osmar Bezerra dos Santos, e pelo Vigário Paroquial, Pe. Ailton José Alvim.

Aproveitando o momento marcante, 75 jovens e adultos receberam o Sacramento da Crisma. Mais um motivo pelo qual centenas de fiéis estiveram presentes. “Momento de grande alegria, de grande satisfação, momento de exultação, de ação de graças por tudo aquilo que vem acontecendo nessa cidade desde aquele setembro de 1922. Por aqui passaram vários padres, todos eles deixaram a sua marca de discípulos e missionários do Senhor. De hoje em diante preparamos mais o próximo centenário, sempre foi ideal de proclamar o evangelho pelas ruas e sobre os telhados, como é o lema do nosso II Sínodo Arquidiocesano de Juiz de Fora”, falou Dom Gil, bastante satisfeito com o trabalho realizado no local.

Ele recordou ainda que a comemoração também está dentro da nossa caminhada sinodal dos cem anos da instalação da diocese de Juiz de Fora, que se dará em primeiro de fevereiro de 2024.

Durante a homilia, explicou que os caminhos da história são os caminhos de Deus. “Deus é que constrói a história. Por isso por tudo vai graças, pelos que chegaram primeiro, os que construíram, passaram antes e os que vão construindo os caminhos hoje”. No entanto, ele alertou que o discipulado tem um preço: a cruz. “A capacidade de renunciar, dar a Cristo o primeiro lugar e segui-Lo. Para aceitar o caminho é preciso sabedora e quem nos dá ela é o Espírito Santo”, concluiu.

“Somos a geração que pode agradecer os cem anos de vida e missão nesse chão”, afirmou Padre Osmar

Todos que passaram próximos à Avenida Cardoso Saraiva, onde se situa a Associação Matiense, podiam notar a felicidade dos paroquianos. As comemorações foram iniciadas em janeiro, com Missa Jubilares. Além disso, foi escolhido um tema, “Cem anos: vida e missão nesse chão”, e lema “Por tudo daí graças” (1Ts 5,18).

“Não é apenas uma data, é a celebração de um projeto de vida que iniciou até muito antes com os primeiros moradores em torno da devoção a Nossa Senhora da Conceição, construindo a capela, dedicada a ela, rezando o santo terço, fazendo as novenas. Essa pequena comunidade foi crescendo, e foi crescendo, e no dia 1º de setembro de 1922 se tornou a paróquia. Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Matias Barbosa”, relatou o atual pároco.

O sacerdote ainda agradeceu a Deus e todos os paroquianos, afirmando ser o momento de olhar o passado com gratidão, o presente com muito amor e o futuro com esperança. “Queremos que o Senhor nos conceda muitos anos de vida e que possamos realizar a sua vontade neste chão. Então agradecemos a Deus pois somos a geração que pode agradecer os cem anos de vida e missão nesse chão”, concluiu ele.

Exposição dos 100 anos

No decorrer da preparação para o Jubileu uma ideia diferente ganhou forma – toda a comunidade foi convidada a buscar materiais que pudesse contar a história da paróquia. “Foi uma adesão assim muito maior do que a gente esperava, sabe? Foi muito bom. E aqui tá a história toda da paróquia, né? São seis cem anos de luta, de glória, de vitória”, contou a Presidente da comissão organizadora da mostra, Rita de Cássia Matos.

A “Exposição dos 100 anos” conta com fotos, documentos, objetos importantes desta caminhada centenária. Ela foi aberta no domingo, dia 4 de setembro, com uma benção do Pastor Arquidiocesano, além de sua visita. A iniciativa durará o mês inteiro, no entanto, ela será itinerante, começou na Atlética Matiense, depois segue para o Salão Nobre da Câmara Municipal, pela Prefeitura e ainda algumas comunidades.

Benção na inauguração da exposição

Para Rita de Cássia, essa é uma forma de preservar a história. “Eu enxergo isso aí com grande valor, foi um trabalho muito bacana. Um século atrás, a gente não tinha isso em registro.  Tem, mas, cada um com as coisas na sua casa. Com esse trabalho houve um resgate muito grande, deu pra gente construir uma linha do tempo”.

Ela ainda relacionou a valorização do presente através do conhecimento do passado. “Se o passado foi esquecido e quantos padres, quantas pessoas que passaram por aqui, que fizeram um trabalho tão bonito, tão maravilhoso e agora ia ser esquecido? Então, muito importante mesmo, o valor histórico inestimável pra nós”.

Padre Osmar fez questão de destacar o papel da Virgem Maria nesta história.  “Desse modo, nós vamos contar a nossa história, a nossa história tão rica, marcada pela fé, pela devoção Nossa Senhora da Conceição. A fé em Nossa Senhora da Conceição é muito importante para a nossa identidade e nós ficamos felizes porque temos Nossa Senhora como padroeira de nossa paróquia”, completou ele.

Veja Também