Fundo Nacional de Solidariedade da CNBB apoia construção de padaria no Quilombo da Onça, em Januária (MG)

0

Um dos projetos que também recebeu apoio do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS) da Campanha da Fraternidade (CF) em 2019 foi o de construção de uma padaria na comunidade Quilombola da Onça, localizada no município de Januária, no norte de Minas Gerais.

A padaria está sendo construída na região semiárida, conhecida como “polígono da seca”, em função do baixo indicador pluviométrico de 600 milímetros/ano e é caracterizada por chuvas escassas, irregulares e esparsas. O projeto vai beneficiar diretamente 58 mulheres, 30 jovens e as 42 famílias do Quilombo da Onça.

Segundo Eva Aparecida Mota Santos, da Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Onça Quilombola e Adjacências, em 2013 surgiu uma proposta de entregar quitutes (petas e bolo de mandioca) para a merenda escolar das escolas da região. Contudo, para fazer as entregas, a associação precisava ter um local adequado que atendesse às exigências sanitárias.

“Foi a partir daí que vimos a possibilidade de um projeto para construir a padaria, pois em nossa região ainda não tinha e a procura por doces, compotas e bolo de frutos do cerrado era grande”, disse. Ela conta que foi por meio da Cáritas diocesana de Januária que ficaram conhecendo o Fundo Nacional de Solidariedade. “Com o apoio do FNS à nossa comunidade, ganhamos a possibilidade de gerar renda para mulheres e jovens”, disse.

Segundo Jerre Ribeiro Sales, agente voluntário que ajudou a desenhar a proposta, o projeto se destina a promover o desenvolvimento sustentável, através de sistemas de produção e gestão comunitária, desenvolvendo ações de segurança alimentar e economia popular solidária, com a implantação de uma Padaria Sertaneja.

O prédio, que está sendo construído com recursos do FNS, está na fase do acabamento, restando os retoques finais. Em abril, informa Eva, a padaria vai começar a operar. “Precisamos ainda montar o plano de trabalho e cumprir com algumas exigências estabelecidas”, disse.

A padaria funcionará de forma comunitária e será coordenada pelo grupo de mulheres da comunidade, como forma de geração coletiva de renda. Elas vão produzir biscoitos, bolos, pães e roscas, entre outros quitutes. O acompanhamento do projeto é feito por meio da Cáritas da diocese de Januária e de outras entidades parceiras.

Fonte: Site da CNBB

Conteúdo Relacionado
X