Em novo livro, Dom Edson Oriolo reflete sobre a “Ação Pastoral na Dinâmica do Novo Normal”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Edições CNBB, editora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), lançará em breve o livro “A Ação Pastoral na dinâmica do novo normal”, de autoria de dom Edson Oriolo, bispo de Leopoldina (MG). A obra visa iluminar o pensamento da dinâmica evangelizadora da Igreja diante da crise pandêmica que assola o Brasil e o mundo.

O bispo escreveu uma série de artigos em que analisa o impacto da pandemia no agir da missão, com o desejo de trazer luzes para a ação pós-pandemia. “Dessa maneira, penso que poderão nos ajudar a reorganizar, reinventar, repensar, redesenhar e redescobrir estratégias e metas para que – criativos e ativos – alcancemos os objetivos Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil 2019-2023”, afirma dom Edson.

A série de artigos aborda temas importantes que ajudam a pensar a evangelização nos dias atuais. Nesse aspecto, para fins de clareza da compreensão, dom Edson elaborou o texto a partir de três eixos: a perspectiva eclesiológica, a perspectiva midiática e a perspectiva pastoral. Estão didaticamente divididos em capítulos intitulados “olhares”.

No que concerne à perspectiva eclesiológica-celebrativa, estão inseridos os seguintes títulos: “Renovação Eclesial inadiável”; “O Sacerdote mistagogo”; “Igreja: Corpo Místico de Cristo”; “A procrastinação na atualidade”; “A Celebração Eucarística na sociedade do espetáculo”; “Celebrar a beleza da fé” e “A Igreja pensada em ‘rede’”.

A perspectiva referente à questão midiática compreende os artigos: “Lives na Evangelização”; “Redes Sociais”; “Notícias falsas na contemporaneidade” e “Fomo ou Jomo? Eis a questão”. O eixo pastoral está contemplado pelos artigos: “Economia de Jesus”; “Comunhão, solidariedade e humanização”; “A generosidade”; “#fiqueemfamília”; “Fraternidade e vida em tempos de coronavírus”; “Na invisibilidade de um vírus, a visibilidade de um crucifixo que impõe silêncio”; “Tempo e espaço na dinâmica da Evangelização”; e “Pistas para a Ação Evangelizadora”.

O bispo sugere que esses artigos sejam analisados à luz dos objetivos da ação evangelizadora da Igreja no Brasil (2019-2023), como um apoio para uma leitura da ação pastoral. “Não aconselhamos que sejam lidos de uma só vez: é interessante que, de acordo com a realidade vivenciada, sejam refletidos com as forças vivas das paróquias, comunidades eclesiais missionárias, pastorais, movimentos etc. Esse ‘novo normal’ está apontando caminhos, tendências, estratégias, demandas, perguntas e respostas para evangelização no mundo urbano”, sugeriu dom Edson.

Covid-19 e a Ação Evangelizadora da Igreja

Dom Edson salienta que a crise sanitária ocasionada pelo surto da Covid-19 repercute na ação evangelizadora, levando-os a refazer planos, adiar compromissos, reconsiderar metas. “Modifica grandemente projetos e ações imediatas, imperativos para cumprir a missão de evangelizar, sobretudo o anúncio da Palavra de Deus, a administração dos Sacramentos e o cuidado para com os últimos da sociedade”, afirma.

Mesmo diante de uma crise com tal dimensão, dom Edson reitera que a missão da Igreja no Brasil é importantíssima e não pode parar: “Diante de nós, ela se apresenta com premência na responsabilidade de ‘evangelizar no Brasil cada vez mais urbano, pelo anúncio da Palavra de Deus, formando discípulos e discípulas de Jesus Cristo, em comunidades eclesiais missionárias, à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres, cuidando da Casa Comum e testemunhando o Reino de Deus rumo à plenitude’ (Doc. CNBB 109, Objetivo Geral)”, finaliza.

Em breve, o livro estará disponível para venda no site da Editora da CNBB.

Livro sobre o Dízimo

Dom Edson Oriolo lançou, no último dia 9 de dezembro, seu mais recente livro sobre o “Dízimo”, com ênfase nas dimensões administrativas e pastorais. O conteúdo ajuda a esclarecer conceitos sobre o recebimento (ganho) e a administração (uso), evidenciando as perspectivas do “recebimento” e sua dinâmica “pastoral”, além do âmbito da “administração”  dos recursos.

“O dízimo como pastoral deve ser precedido pela convicção de que evangelizar é vocação essencial da Igreja. Em relação ao receber, precisamos entender a dinâmica da eclesialidade e da missionariedade. O dízimo leva as pessoas a formarem a consciência da partilha, da generosidade e da solidariedade”, comentou o autor.

Assina o prefácio o arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor de Oliveira Azevedo, que destaca a obra como uma busca acertada para estudos, sendo uma reflexão importante para a missão evangelizadora da Igreja. “Neste estudo, Oriolo apresenta a largueza da trilogia que configura a Pastoral do Dízimo no cuidado com a evangelização, com as celebrações e com os pobres, comprovando a Pastoral do Dízimo como verdadeira escola do Evangelho”, comentou.

*Fontes: Site da CNBB e Diocese de Leopoldina

Veja Também