Eleições 2022: CNBB E TV Aparecida promovem debate pela conscientização do voto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No contexto das Eleições gerais de 2022, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a TV Aparecida produziram um programa especial para discutir fé e política para um Brasil melhor. Nesta quinta-feira, dia 29, às 19h30, vai ao ar na TV Aparecida o especial “CNBB orienta – por uma política de paz”. Com a participação de especialistas e apresentação da jornalista Camila Morais, o programa é uma iniciativa da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB em parceria com a emissora católica.

Com a aproximação das eleições para Executivo e Legislativo no país, agendadas para o próximo dia 2 de outubro, o programa quer orientar o cristão a escolher bem os seus candidatos, sem vínculo partidário ou ideológico, por meio de reflexões sobre a situação social do Brasil. O programa visa para destacar a importância do voto consciente e da necessidade de uma política de paz no país.

O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, participa da produção e destaca a missão dos cristãos leigos nas eleições: “É tarefa cristã exercer a cidadania adequadamente buscando contribuir para edificar uma sociedade mais justa, solidária e fraterna. Essa tarefa exige o compromisso com o voto consciente”.

A jornalista Camila Morais, responsável pela apresentação do programa, cita o Papa Francisco sobre o verdadeiro papel da política: “O Papa Francisco coloca na encíclica ‘Fratelli Tutti’ que a melhor política é aquela a serviço do verdadeiro bem comum e que a política é a forma mais alta da caridade”.

Participações

Três especialistas foram convidados para participar do programa: o assessor de Política Institucional da CNBB, padre Paulo Renato Campos; padre Toninho Alves, mestre em Ciências Sociais pela Universidade Gregoriana de Roma e doutor em Teologia pela PUC Rio; e Carlúcia Maria Silva, doutora em Ciências Sociais pela PUC Minas, pós-doutora em Psicologia Social pela UFMG e integrante da Comissão Nacional de Fé e Política do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB).

Padre Paulo Renato observa no país uma “polarização radicalizada que despreza essa lógica da ‘Fratelli Tutti’, essa lógica de que somos todos irmãos, despreza a lógica da disputa de adversários e coloca a lógica da disputa de inimigos dentro de um contexto polarizado, que termina com essas violências que nós temos assistido”.

Também no programa “CNBB orienta por uma política de paz”, padre Toninho chamou a atenção para o significado do bem comum a partir da posição da Igreja: “É um conceito, parece meio abstrato quando se fala de bem comum. Eu gosto do Papa João XXIII quando ele fala de bem comum, ele toma o conceito personalista que está na base da concepção, como sendo o conjunto de condições que favorecem o pleno desenvolvimento da pessoa”.

A doutora Carlúcia Maria, em uma de suas intervenções, fez a relação entre a paz e a justiça a partir dos documentos conciliares e pós-conciliares como a Populorum Progressio: “Não se pode falar em paz onde impera a desigualdade, ou as desigualdades, e as injustiças que se manifestam de muitas formas. É preciso que a gente pense (…) o projeto que esse candidato representa, ele está a serviço de quem ou de quê, qual é a história que ele traz”.

O programa “CNBB orienta – por uma política de paz” vai ao ar na quinta-feira, às 19h30, na TV Aparecida.

Fonte: Site da CNBB

Veja Também