Depois de três meses, Catedral reabre e recebe 30 fiéis

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No dia 18 de março de 2020 todas as missas com a participação do povo foram suspensas na Arquidiocese de Juiz de Fora, atitude tomada por conta do crescimento do número de casos de coronavírus na região. Cerca de três meses depois, a Catedral Metropolitana voltou a reabrir neste domingo, 21 de junho, recebendo 30 fiéis para a Celebração das 10h, presidida pelo Arcebispo, Dom Gil Antônio Moreira.

O procedimento foi amparado pelo decreto municipal divulgado no último dia 12, autorizando a realização de celebrações religiosas para este número de participantes. Uma semana depois, o próprio Arcebispo divulgou orientações no mesmo sentido para as paróquias localizadas na cidade-sede de nossa Igreja Particular, desde que respeitadas as normas de distanciamento social, uso de máscaras e higiene das mãos.

As pessoas que estiveram na Catedral neste domingo se inscreveram previamente por telefone e, antes mesmo de adentrar a igreja, tiveram de limpar as mãos com álcool em gel. Dentro do templo, os locais de assento estavam demarcados e separados por uma fita, garantindo a distância mínima de dois metros. Todos usavam máscaras, inclusive a equipe responsável pela liturgia.

Em entrevista, Dom Gil revelou sua satisfação em rever os fiéis durante as Missas. “Momento de grande alegria saber que agora podemos, com toda segurança e autorização do poder Público, ir agora resolvendo o problema da presença das pessoas. A Celebração Eucarística, embora a gente faça por transmissão, não foi feita para ser visualizada nos meios eletrônicos, mas para ser presencial”.

Durante a homilia, o Arcebispo lembrou a mensagem do evangelho do dia, no qual Cristo diz três vezes aos seus apóstolos: “Não tenhais medo” (cf. Mt 10,26-33). O Pastor, contudo, ressaltou a importância da prudência. “Jesus nos aconselha a não ter medo. Mas nós podemos nos perguntar: hoje, o mundo inteiro está com medo por causa dessa Covid-19, que nem os médicos sabem direito como combater. E aí, nós podemos ter medo ou não? Na verdade, nós entendemos o medo de duas maneiras. Jesus não está falando de um medo irresponsável. Não cuidar da saúde seria irresponsável; deixar de ter medo seria irresponsabilidade. O medo bom, que a gente tem que ter, tem um outro nome na nossa doutrina cristã: prudência. Jesus diz: ‘sede prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas’. Ser prudente significa tomar os cuidados para nos defender dos perigos”, ressaltou.

Maria Aparecida dos Santos voltou a participar presencialmente da Missa depois de muito tempo acompanhando tudo pelas redes sociais. Foi a primeira a se inscrever na Catedral. “Desde março que eu não vinha. Meu coração se encheu de alegria em estar de novo na casa de Deus. Tenho rezado em casa, mas não é a mesma coisa. Aqui a paz interior fica muito intensa”, disse, emocionada.

Segundo o Administrador da Catedral, Padre José de Anchieta Moura Lima, outras adaptações estão sendo preparadas, como o tapete sanitizante e o termômetro de testa. “Vamos nos adequando, é uma experiência nova. No próximo domingo nós já teremos mais missas, certamente mais pessoas participando e com todo o cuidado que temos que ter uns pelos outros”. Além de Padre Anchieta, concelebraram com o Arcebispo os vigários paroquiais, Padre Antônio Pereira Gaio e Luiz Caros Vitório. O Diácono Permanente Antônio Valentino da Silva Neto serviu ao altar.

Os interessados em assistir às celebrações na igreja devem entrar em contato pelo (32) 3250-0700, entre 8h30 e 13h30, de segunda a sexta-feira, e informar nome, idade e telefone para contato. Durante a semana, as celebrações acontecem às 9h; aos sábados, às 9h e 16h; e, aos domingos, às 7h, 10h, 11h30 e 16h.

Dia do Seminarista

Neste domingo, 21 de junho, a Igreja celebra São Luís Gonzaga, padroeiro da juventude e dos estudantes. O santo é considerado também o padroeiro dos seminaristas e, por isso, Dom Gil Antônio Moreira enviou uma mensagem aos aspirantes ao sacerdócio em nossa Igreja Particular.

“O seminarista é aquele que deixa tudo por causa de Cristo. Estou muito feliz com meus seminaristas, porque eles estão em casa, mas estão completamente unidos a nós e a seus colegas pelos meios eletrônicos, pelos estudos à distância. Eu quero dar uma bênção para eles e pedir a São Luís Gonzaga que interceda junto de Deus para que possam voltar o mais rápido possível para conviver na comunidade no nosso Seminário Santo Antônio”.

Veja Também