Cortejo e Missa festiva marcam Dia de Santo Antônio no Centro de Juiz de Fora

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No último sábado, 13 de junho, a Arquidiocese de Juiz de Fora celebrou seu padroeiro, Santo Antônio, de uma forma diferente: por conta da necessidade do distanciamento social, um cortejo com a imagem do santo português tomou conta da principal avenida da cidade e chamou a atenção de devotos e transeuntes. O carro-andor saiu do Seminário Arquidiocesano em direção à Catedral, levando também o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, que trazia consigo a relíquia de Santo Antônio.

Todo o trajeto foi transmitido ao vivo pelo Facebook da WebTV “A Voz Católica”. Mesmo assim, ao ouvir os cânticos e as orações, os fiéis que moram no entorno apareciam em suas janelas e portões para acenar para a comitiva e participar, mesmo que de longe, da atividade, recebendo a bênção do Arcebispo. “Foi surpreendente ver a quantidade de pessoas nas janelas, muitas emocionadas, fazendo gestos, batendo palmas; é o povo de Juiz de Fora que ama o seu padroeiro e que estava ali, o acolhendo da maneira que podia, na porta da sua casa. Fiquei de fato muito feliz com a manifestação do povo, e muitas pessoas certamente acompanharam de casa. É uma forma não só do juiz-forano, mas de todas as pessoas que estavam ligadas conosco, celebrar ação de graças pelo trabalho, pela vida, pelo exemplo de Santo Antônio”, contou Dom Gil.

Na chegada à Catedral, algumas pessoas aguardavam do lado de fora e, graças ao decreto que o prefeito Antônio Almas publicara no dia anterior, puderam participar da Eucaristia: depois de quase três meses, o templo recebia novamente o povo, ainda que de forma limitada. “Tivemos a grande alegria de, pela primeira vez, colocar cerca de 30 pessoas dentro da Catedral. É um grande presente que Santo Antônio nos dá, através do nosso prefeito, que se chama Antônio e é muito católico. Que ele abençoe também todas as autoridades que têm a responsabilidade de nos ajudar a evitar o contágio”, afirmou o Arcebispo.

Fátima Cristina Rodrigues Pereira, que mora dentro do território da Paróquia São Mateus, teve a oportunidade de participar da Santa Missa presencialmente depois de quase três meses assistindo às celebrações de casa. “Nesse tempo de pandemia, além da tristeza natural de vermos mortes, pobreza e falências, o fato de não poder vir à igreja está sendo um vazio que está doendo para mim e para muitas pessoas que eu conheço. Hoje foi uma bênção. Estou tão feliz! Foi um refrigério para a minha alma, e eu acredito que muitos dos que estão aqui estão sentindo a mesma coisa. É inexplicável”, confidenciou.

A Celebração Eucarística, além de recordar o santo casamenteiro, marcou a inauguração e bênção solene da pintura interna da principal igreja de Juiz de Fora. Originalmente entregue em 18 de março, o trabalho não pôde ser apresentado antes à população por conta do agravamento da pandemia do novo coronavírus. Ao final da Missa, depois de explicar aos presentes e espectadores um pouco do trabalho, que durou sete anos, Dom Gil aspergiu água benta e incensou as paredes da Catedral.

O atual Administrador da Paróquia Santo Antônio, Padre José de Anchieta Moura Lima, recordou o empenho dos párocos anteriores, Monsenhor Antônio Cornélio Viana e Monsenhor Luiz Carlos de Paula. “A gente tem que agradecer muito às pessoas que colaboraram conosco, que desde a época do Mons. Viana e depois com Mons. Luiz Carlos ajudaram a fazer com que realmente a gente pudesse oferecer à população de Juiz de Fora essa beleza artística”.

Outro acontecimento importante foi a reentronização, no altar-mor, da imagem original de Santo Antônio, que foi restaurada nos últimos anos. “Nós tivemos agora a oportunidade de retorná-la ao lugar de seu direito, que é o trono principal da cidade, o trono do altar da Catedral”, comemorou Dom Gil.

Além de Padre Anchieta, concelebraram com o Arcebispo o Vigário Geral da Arquidiocese e Reitor do Seminário Santo Antônio, Monsenhor Luiz Carlos, o Ecônomo da instituição, Padre Welington Nascimento de Souza, e os vigários paroquiais, padres Danilo Celso de Castro e Luiz Carlos Vitório. Os Diáconos Permanentes Antônio Valentino da Silva Neto e Jorge Luís Lopes dos Santos (Tuíte) serviram ao Altar. A celebração ainda foi abrilhantada pela participação de alguns membros do Coral Arquidiocesano Benedictus, sob a regência do Padre João Francisco Batista da Silva.

Veja Também