Comissão que administra Funpai analisa projetos de paróquias carentes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Na manhã da última quinta-feira, 17 de dezembro, o Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, se reuniu com a comissão responsável pelo Fundo de Paróquias-Irmãs (Funpai), no Seminário Arquidiocesano Santo Antônio. Além de Dom Gil, participaram do encontro o Ecônomo da Arquidiocese, Padre Liomar Rezende de Moraes, o Ecônomo do Seminário, Padre Wellington Nascimento de Souza, o Padre José de Anchieta Moura Lima e o Contador da Mitra Arquidiocesana, José Dimas Rocha Sales.

O objetivo da reunião foi analisar e discutir projetos apresentados por paróquias carentes. Até este momento, quatro comunidades se beneficiaram do fundo, criado no mês de abril para auxiliar paróquias com dificuldades financeiras. “No tempo da pandemia, está ficando difícil para grande parte das paróquias administrarem os seus bens materiais, compras, reformas e mesmo despesas ordinárias. Este é um gesto de caridade que há entre as paróquias para que elas possam ajudar umas às outras”, contou Dom Gil.

Segundo o Arcebispo, a iniciativa continuará existindo mesmo após o fim do surto do novo coronavírus. “As carências às vezes não desaparecem. Sempre tem alguma paróquia ou outra que depende de uma paróquia melhor no sentido de arrecadação. A gente pretende continuar com este fundo perpetuamente, para bem servir às paróquias que mais carecem”.

O Funpai se mantém por coparticipação solidária e fraterna das paróquias e foranias da Arquidiocese de Juiz de Fora, aparando as comunidades no cumprimento de seus compromissos e ajustando as despesas de pessoal, investimentos e outros, minimizando ao máximo suas necessidades. Os benefícios do fundo são liberados mediante projetos feitos pelas paróquias interessadas e que são julgados pela Comissão Administrativa.

Veja Também