Começa na segunda-feira, 8 de agosto, o curso “Fake News, Religião e Política”

Tem início na próxima segunda-feira, 8 de agosto, o curso on-line “Fake News, Religião e Política”. A iniciativa será realizada pela plataforma Zoom e o link de acesso será encaminhado aos inscritos nesta sexta-feira, 5 de agosto, até às 17h.

A formação, gratuita, ofertou 300 vagas, mas devido a grande procura a coordenação ampliou a participação para os 500 primeiros inscritos. O curso será realizado até o dia 12 de agosto, sempre das 19h30 às 21h30, e terá certificação do Núcleo de Estudos Sociopolíticos, o Nesp, da PUC Minas.

Tendo em vista o aumento substancial da disseminação de notícias falsas seu objetivo é “oferecer uma formação aos agentes da Pascom, de outras pastorais, movimentos e organismos da Igreja para que desenvolvam a habilidade de checagem de notícias, exerçam a atitude cristã de propagação da verdade e formem uma rede de checadores de notícias no âmbito eclesial”.

O curso é oferecido pela Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, a Assessoria de Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Pastoral da Comunicação (Pascom-Brasil), em parceria com os Jovens Conectados, com a Bereia – Informação e Checagem de Notícias e com a PUC Minas, por meios de seus núcleos Anima, Núcleo de Estudos Sociopolíticos (Nesp) e Núcleo de Estudos em Comunicação e Teologia (Nect).

Compromisso com a verdade é uma exigência cristã

O bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro e secretário-geral da CNBB, dom Joel Portella Amado, considera que “estamos assustados com diversas situações de nosso tempo, presentes no mundo e, é claro, também no Brasil. Dentre elas, a disseminação de notícias falsas, as chamadas fake news”. Segundo dom Joel, trata-se de um fenômeno assustador, que, visando a fragilização das pessoas e da sociedade, deve ser identificado, compreendido e rejeitado com toda veemência.

Para o secretário geral da CNBB, o compromisso com a verdade é uma exigência cristã, sem dúvida. “Diz respeito, entretanto, a todas as pessoas, independentemente da crença que possua, pois, quando abrimos mão da verdade, abrimos igualmente mão de nossa própria condição humana”, defende.

O bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Joaquim Giovani Mol, aponta que há grupos sociais que hoje usam as fake news para produzir a desinformação e construir falsas narrativas sobre a história, sobre os seres humanos e sobre a verdade dos fatos com o objetivo claro de ferir pessoas e, inclusive, desestabilizar a democracia.

“Como cristãos, nosso dever é buscar sempre a verdade e a correta informação baseada em dados reais. O nosso dever pastoral é de combater e evitar a disseminação da desinformação e fortalecer o compromisso com a verdade”, disse.

O coordenador da Pascom-Brasil, Marcus Tullius, informa que o desejo é avançar para o fortalecimento de uma rede de agentes pastorais católicos capacitados para checar e lidar com esse fenômeno complexo das fake news. “Os parceiros na realização desta iniciativa abraçaram a causa, pois estamos convencidos de que é necessário combater a desinformação e isso se faz com pessoas bem preparadas. É uma tarefa bem árdua, mas, retomando o Papa Francisco, reafirmamos que é preciso acreditar na força ‘contagiosa’ do bem. É um primeiro passo, mas significativo para o contexto em que vivemos”.

Fonte: Site da CNBB

Veja Também