Com as devidas adaptações, celebração de Corpus Christi é marcada pela presença de fiéis e cortejo no centro de Juiz de Fora

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Pelo segundo ano seguido, as festividades de Corpus Christi aconteceram de forma adaptada, por conta da pandemia. Na tarde da última quinta-feira (3), o Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira presidiu a Santa Missa, na Paróquia do Bom Pastor. Como é de costume, as paróquias Bom Pastor e Catedral celebraram em conjunto.

Antes de iniciar a celebração, Dom Gil fez um pronunciamento sobre sua recuperação, já que ele retornava as atividades pastorais naquele dia depois de contrair Covid-19. “Agradeço ao Deus da vida pelos recursos da ciência, obra da inteligência humana, criada por esse mesmo Deus, pois, segundo o que afirmam os médicos, o fato de eu ter tomado as duas doses da vacina me ajudou a ter a enfermidade numa forma branda, com poucos sintomas. Mas não tenho dúvidas de que para enfrentamento dessa pandemia ou de qualquer coisa doença o aspecto espiritual é determinante, tanto pelo comportamento do doente, quanto do apoio dos que oram por eles”.

O pastor agradeceu o médico que o acompanha, Dr. Áureo Delgado e aproveitou para fazer uma homenagem a toda a classe médica do país que tem se desdobrado no combate a pandemia. Ele também pediu a todos que se vacinem, assim que possível.

A Santa Missa foi concelebrada por alguns padres da Forania Santo Antônio e auxiliada por diáconos permanentes. Na homilia, o presidente da celebração explicou a importância da festividade. “Ela recorda o momento em que Jesus instituiu a Sagrada Eucaristia. Em Corpus Christi nós proclamamos publicamente a nossa fé da presença real de Jesus Cristo no pão e no vinho Eucarístico, portanto, nós louvamos adoramos e refletimos e celebramos”.

Ele explicou também que o Ressuscitado está presente na hóstia por causa de seu amor para conosco, para nos ajudar a partilhar. “Como é lindo o amor de Deus por nós. Ele deixou para nos ensinar a amar, ensinar a repartir o pão. Por isso, a Arquidiocese está celebrando uma grande campanha em todas paróquias, uma grande coleta de alimentos e de roupas para as pessoas que estejam dependendo disso por causa da pandemia”.

Após a comunhão e breve momento de adoração Eucarística, o cortejo com o Santíssimo Sacramento foi realizado em carro aberto, seguidos por grupos de fiéis e acompanhado por moradores da região central da cidade. Eles seguiram cantando, rendendo graças e entregando seus pedidos a Jesus Eucarístico, pelas avenidas Dr. José Procópio Teixeira e Barão do Rio Branco.

A transladação foi realizada pelo pároco do Bom Pastor, Padre João Paulo Teixeira Dias. Durante o percurso foram dadas as tradicionais bênçãos nas proximidades da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital de Pronto Socorro (HPS), em frente ao Cenáculo São João Evangelista.

Chegando a Catedral, sede religiosa da Arquidiocese de Juiz de Fora, houve um momento de oração e Dom Gil deu uma bênção especial para toda a cidade e a Arquidiocese.

Confira mais imagens deste momento no Facebook da Arquidiocese.

Veja Também