Coleta Nacional da Solidariedade propõe, na Quaresma, gesto concreto solidariedade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

No próximo Domingo de Ramos, dia 14 de abril, a Igreja no Brasil realizará a Coleta Nacional da Solidariedade em todas as comunidades e paróquias.  O bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Leonardo Steiner reforça que o caminho quaresmal pede aos cristãos oração, jejum e esmola e reforça o pedido para doações à Coleta Nacional da Solidariedade.

Trata-se, segundo o Texto-Base, de um gesto concreto da Campanha da Fraternidade que se expressa concretamente pela oferta de doações em dinheiro e de um gesto concreto de fraternidade, partilha e solidariedade, feito em âmbito nacional, em todas as comunidades cristãs, paróquias e dioceses. A Coleta da Solidariedade é parte integrante da Campanha da Fraternidade 2019.

Segundo o Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2019, bispos, padres, religiosos(as), lideranças leigas, agentes de pastoral, colégios católicos e movimentos eclesiais são os principais motivadores e animadores da Campanha da Fraternidade. “A Igreja espera que com esta motivação todos participem, oferecendo sua solidariedade em favor das pessoas, grupos e comunidades, conforme orienta suas diretrizes gerais, no nº 6: ‘Ao longo de uma história de solidariedade e compromisso com as incontáveis vítimas das inúmeras formas de destruição da vida, a Igreja se reconhece servidora do Deus da vida”.

O gesto fraterno da oferta tem um caráter de conversão quaresmal. “No Domingo de Ramos somos todos convidados a dar nossa esmola e a fazermos um ato de caridade”, reforça dom Leonardo.

Fonte: Site da CNBB

Veja Também