Cerimônia marca abertura dos Jogos das Escolas Católicas de Juiz de Fora

A cerimônia de abertura dos II Jogos das Escolas Católicas, na noite da última segunda-feira (24), no ginásio do Colégio Jesuítas, marcou o retorno da competição esportiva após um intervalo de quase quatro anos. O evento é uma realização da Pastoral da Educação da Arquidiocese de Juiz de Fora, em parceria com as escolas confessionais.

A solenidade contou com presença dos diretores de todos colégios participantes dos jogos, da Comissão Organizadora e do Vigário Episcopal para Educação e Cultura, Pe. Everaldo José Sales Borges, representando o Arcebispo de Juiz de Fora, que não pode estar presente por conta da 60ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O atual coordenador dos Jogos das Escolas Católicas, Dario da Silva Pereira Filho, um entusiasta do esporte, explicou que nesta segunda edição houve aumento nas modalidades, com disputas femininas e masculinas nos quatro esportes e mais de 250 atletas participantes.

Ele também enfatizou o objetivo do evento. “Estar incentivando o esporte nas escolas, com muito respeito, com muito carisma, se colocar no lugar do outro, o esporte vem para isso. Estou muito contente com isso e vamos fazer ótimos jogos esportivos”.

Para o diretor do colégio que recebeu a cerimônia de abertura, Edelves Rosa Luna, o momento foi de grande satisfação. “O colégio Jesuítas tem muita alegria de receber os colégios irmãos para a realização deste momento de alegria, de confraternização, sobretudo vivência e celebração do esporte. Celebramos aquilo que nós acreditamos, a força do esporte e a capacidade formativa que ele tem”.

Na ocasião, as setes escolas participantes desfilaram com seus atletas, que realizaram um juramento prometendo dedicação e respeito. Além disso, foi realizado o acendimento da “pira olímpica”, após a tocha passar pelas mãos de representante de todas as escolas.

A competição

O pontapé na tabela foi dado com quatro jogos na tarde da segunda-feira. Todos de handebol, primeira modalidade disputada. Um início animado e organizado para o evento.

Para a estudante do Colégio Resgate, Julia Morgatto, um começo promissor. “É primeiro ano do colégio. A expectativa tá lá em cima. A gente jogou o primeiro jogo hoje, bem legal, eu estava bem nervosa. Espero que continue assim, é bom para enturmar. Fiz dois gols”, contou ela em entrevista.

Como os jogos acontecem durante o horário de aulas, a comissão organizadora decidiu que os jogos não contaram com torcidas, uma medida que visa a organização, priorização do plano de ensino, para que os demais alunos não sejam atrapalhados pelo barulho.

Segundo o Coordenador da Escola de Esportes e Cultura do Colégio Jesuítas, Arthur Castellões, não há perdas com essa dinâmica. “Como estamos falando de esporte educacional, não aquele que a gente vê na TV, com uma pegada muito mais pedagógica voltada para formação dos estudantes, para socialização, a falta da torcida não afeta todo o ganho que a gente tem com os jogos. Acredito que os jogos atingem seu potencial formativo e educacional mesmo sem a presença do público”, explicou ele.

Ganhos espirituais

As boas-vindas do diretor do Colégio Jesuítas

À primeira vista, através do esporte, jovens e dos adolescentes têm a possibilidade de aprendizado, de integração uns com os outros. No entanto, pode significar um ganho maior ainda.

“É muito interessante lembrar como São Paulo compara o caminho da fé com uma prova, alguém que busca uma medalha e para isso se prepara e treina. É claro que os jovens estão aqui se preparando para o esporte mas a gente precisa lembrar que eles participam de escolas confessionais e carregam dentro de si também a espiritualidade cristã e, nesse sentido, eles se identificam uns aos outros como membros do mesmo caminho, competem uns com os outros, mas tem oportunidade de troca uns com os outros, sobretudo, no mundo da espiritualidade da troca do respeito, da consideração, do olhar sobre a dignidade e a possibilidade do outro ensinar e aprender alguma coisa”,  destacou o Vigário para Educação e Cultura.

Os jogos seguem ocorrendo até o final de junho. Seu encerramento está previsto para o dia 23 de junho, com uma cerimônia às 19h, no Colégio Academia.

Veja Também