CDDH participa de Diagnóstico de Gestão Participativa do SUS em Juiz de Fora

0

No mês de maio, o assistente jurídico do Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) da Arquidiocese de Juiz de Fora, Alan Rossi, participou da etapa de Juiz de Fora do Diagnóstico Participativo do projeto “Polo Institucional de Fortalecimento da Gestão Participativa do Sistema Único de Saúde (SUS)”. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

O projeto tem o objetivo de “promover o fortalecimento das políticas de gestão participativa do SUS mediante a geração de conhecimentos, informações e a capacitação e mobilização dos agentes públicos e sociais que atuam na área da saúde com ênfase para as populações em condições de vulnerabilidade e iniquidade”.

Segundo Alan Rossi, a participação do CDDH/JF no evento foi importante porque, além de o assunto discutido estar diretamente ligado com as pautas de atuação da entidade, trata-se de uma iniciativa inclusiva, que visa à melhoria do atendimento nos equipamentos de acesso à saúde a partir da participação direta da população. “De acordo com a linha de atuação do CDDH/JF, aquela seria uma ótima oportunidade de ouvirmos as verdadeiras demandas da população na área da saúde, para conseguirmos pensar conjuntamente em soluções adequadas. Acreditamos que a melhor forma de gerar mudanças eficientes e desejáveis ao bem comum é, sem dúvida, através do diálogo e, consequentemente, da representação direta dos anseios dos maiores afetados”.

O assistente jurídico do CDDH ainda destaca a importância da participação da Igreja Católica no projeto, visto como essencial para a garantia da dignidade humana, em especial àqueles menos favorecidos. “Abandonados até mesmo pelo próprio Estado, essas pessoas se veem frágeis diante de uma sociedade de mercado aterradora, que é movida, principalmente, pelo acesso e pela concentração de riquezas. Desta forma, torna-se importantíssima a participação da Igreja neste contexto. Afinal, são sedimentados ao longo de sua história milenar, ensinamentos e práticas voltadas incansavelmente à dedicação ao próximo e à consequente garantia da dignidade aos menos abastados”.

O município de Juiz de Fora foi o primeiro a sediar o “Polo Institucional de Fortalecimento da Gestão Participativa do SUS”, que já visitou outras cidades da região, como Cataguases, Manhuaçu, Muriaé, Ponte Nova e Ubá. Nos próximos dias 12 e 13 de junho, o Diagnóstico Participativo será realizado em Barbacena, Caratinga e Viçosa.

Outras informações:
Assessoria de Comunicação Arquidiocese de Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Conteúdo Relacionado
X