Cardeal Dom Damasceno recebe homenagem em SJDR e visita Batistério de Nhá Chica

Foto: Assessoria da Diocese de São João Del-Rei

No dia em que a Igreja celebra a festa do batizado da são-joanense Francisca de Paula de Jesus, a beata Nhá Chica, o Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo Emérito de Aparecida e membro do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais e da Pontifícia Comissão para América Latina, na Santa Sé, realizou a visita nas ruinas da antiga igreja de Santo Antônio, no Distrito do Rio das Mortes, acompanhado do Vigário Geral e Pároco das Paróquias da Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar e Senhor Bom Jesus do Monte, Monsenhor Geraldo Magela da Silva.

Segundo a biografia da Beata, Nhá Chica foi batizada no dia 26 de abril em 1810. Desde que a sua devoção chegou na vida dos moradores de forma mais intensa, no fim do século XX, Nhá Chica se tornou um motivo de alegria para o povo da sua terra natal. Leiga, mulher simples, filha de escrava e analfabeta, mas nada disso a impediu de dedicar a sua vida a vivência do Evangelho e de muita oração, em especial, uma terna devoção a Imaculada Conceição.

Para Dom Raymundo Damasceno, Nhá Chica é uma figura de grande exemplo para todos os cristãos. “A santidade é para todos”, pontua.

Medalha Presidente Tancredo de Almeida Neves

A visita do Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis em São João del-Rei se deu pela homenagem recebida na noite da última quarta-feira, dia 26 de abril, no plenário da Câmara Municipal de São João del-Rei, quando aconteceu a Sessão Solene de entrega da Medalha Presidente Tancredo de Almeida Neves. Essa honraria tem o objetivo de condecorar cidadãos que trabalharam e ainda se se destacam nos diversos setores da sociedade em prol do bem-comum da comunidade. Dentre os homenageados,

“Venho a esta querida cidade de São João del-Rei para receber a Medalha Presidente Tancredo de Almeida Neves, honrosa homenagem que me é prestada pela Câmara Municipal, por proposta do ilustre Vereador Igor Luiz Sandim Gonzaga. Por esse acontecimento, manifesto minha gratidão, antes de tudo, a Deus, o princípio e o fim de minha vida e de minhas ações. Tenho como lema de vida “Nada pedir e nada recusar”.  É, então, com o estado de alma que esse lema me inspira que recebo tão valorosa homenagem. Recebo a Medalha Presidente Tancredo Neves com humildade e com renovado propósito de bem servir ao próximo, ciente do elevado valor que ela representa para quem a recebe”.

Dom Damasceno aproveitou para agradecer a todos os apoiadores que teve junto com ele ao longo do ministério. “Toda minha vida – em família, na Igreja e na sociedade -, foi sempre motivada pela mais firme vontade de servir a Deus, amando os irmãos, colaborando na construção de uma sociedade pautada pela Justiça, pela Paz e pelo Amor entre as pessoas. Da mesma forma, no desempenho de minhas atividades em todas as instituições a que servi ao longo de minha vida, sempre procurei levá-las a fundamentarem sua atuação no Direito e na promoção do bem comum. Na verdade, se a Medalha Presidente Tancredo de Almeida Neves é concedida aos “cidadãos que prestaram relevantes serviços em defesa da preservação dos Direitos Humanos”, mais do que a mim, ela deve ser atribuída às pessoas que comigo trabalharam nas instituições de que participei no exercício de meu sacerdócio e de meu episcopado”.

O homenageado ainda pediu as bênçãos de Nossa Senhora do Pilar. “Rogo ao bom Deus e à Virgem do Pilar, coroada e proclamada Padroeira deste querido Município, em 1954, pelo saudoso Papa Pio XII, para que continue abençoando o caríssimo e dileto povo de São João del-Rei”.

Fonte: Site da Diocese de São João del-Rei

Veja Também