Bispos do Brasil de recente nomeação encontram o Papa Francisco

*Audiência na Sala Clementina, no Vaticano (Vatican Media)

A Sala Clementina, no Vaticano, acabou se transformando – literalmente – num grande círculo de conversas entre os novos bispos e o Papa Francisco. A audiência com o Pontífice, na manhã desta quinta-feira (8), marcou o encerramento do curso anual de formação promovido pelo Dicastério para os Bispos, que começou ainda no início de setembro e refletiu sobre o tema “Anunciar o Evangelho em uma época de mudança e após a pandemia: o serviço dos bispos”.

O curso de formação

Já que, devido às restrições da pandemia de Covid-19, não foi possível organizar o curso nos anos anteriores, um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé informa que em 2022 a formação será realizada em dois turnos: a primeira neste período, de 1º a 8 de setembro; e a segunda de 12 a 19 de setembro, com cerca de 170 bispos, sempre com atividades realizadas na Universidade Pontifícia Regina Apostolorum, em Roma. Nos dois grupos haverá a participação de bispos do Dicastério para as Igrejas Orientais.

*Os bispos brasileiros antes da audiência com o Papa. À direita, está Dom Roberto José da Silva, Bispo de Janaúba (MG), do Clero da Arquidiocese de Juiz de Fora (Vatican Media)

Nesta primeira etapa, dos 155 bispos de recente nomeação provenientes de todas as partes do mundo, num grande mosaico de idiomas e culturas, o Brasil estava representado por 11 prelados, ordenados entre o fim de 2019 e o ano de 2020. Entre eles, Dom Adimir Antônio Mazalli, bispo de Erechim/RS, que falou sobre a fraternidade episcopal, também “muito importante para o ministério e a missão evangelizadora confiada aos bispos”. O próprio curso ofereceu tradução em seis línguas, confirmando um enriquecimento com a cultura e o jeito de ser de cada um.

A Igreja sinodal no Brasil e no mundo

Segundo dom Angelo Ademir Mezzari, bispo auxiliar de São Paulo, duas temáticas aprofundadas no curso podem reforçar o caminho da Igreja no Brasil: a sinodalidade e as duas prioridades do magistério de Papa Francisco no caminho da Igreja, isto é, a família e a fraternidade universal através da promoção humana integral. “Estes dois temas abordados animam para a ação evangelizadora”, afirmou dom Angelo, e os bispos se tornam “agentes” desse processo com “a escuta e o discernimento, para que todo o povo de Deus caminhe junto, em comunhão na missão”.

Do Brasil, então, os 11 bispos que estiveram reunidos em Roma para o curso anual de formação: dom Angelo Ademir Mezzari (auxiliar de São Paulo); dom Adimir Mazzalli (de Erechim/RS);  dom Célio Calixto (auxiliar do Rio de Janeiro); dom Roberto José da Silva (de Janaúba/MG); dom Dilmo Campos (auxiliar de Anápolis/GO); dom Lindomar Rocha Mota (de São Luiz de Montes Belos/GO); dom Giovani Carlos Caldas Barroca (de Uruaçu/GO); dom Jeová Elias Ferreira (de Goiás/Go); dom Geraldo (de Bonfim/BA); dom Valentim Fagundes de Meneses (de Balsas/MA); dom Jesús María López Mauleón (bispo prelado do Alto Xingú-Tucumã).

*Fonte: Site do Vatican News

Veja Também