Arquidiocese de Brasília quer combater a pobreza e lança projeto Partilha

Lançamento da campanha/Foto: Arquidiocese de Brasília

A Arquidiocese de Brasília lançou nesta segunda-feira, dia 15 o Projeto de ação social Partilha Brasília. O projeto tem como intuito ampliar a assistência a quem está em situação de vulnerabilidade social. De acordo com arcebispo de Brasília, dom Paulo Cezar Costa, a ideia do projeto nasceu da percepção do aumento da pobreza nos últimos anos. “Queremos acolher, escutar a história de cada pessoa, ver como ajudá-los a sair da pobreza e exclusão que se encontram”, afirmou.

A Rádio Vaticano – Vatican News conversou com o arcebispo de Brasília, dom Paulo Cezar:

“Hoje lançamos na Arquidiocese de Brasília o Projeto Partilha Brasília. O Projeto Partilha Brasília nasceu da percepção de que há tantas pessoas vivendo em insegurança alimentar. Na celebração de Corpus, Christi deste ano percebemos que não podemos continuar a Celebrar e a participar da Eucaristia com a consciência tranquila diante dessa situação de insegurança alimentar, da situação de sofrimento de tantos irmãos irmãs”.

O arcebispo de Brasília destacou que “o Projeto une diversas instituições da arquidiocese de Brasília, as obras sociais da arquidiocese de Brasília, Sistema Fecomércio, Senac, Sesc a Secretaria do trabalho, a Universidade Unieuro, empresários do DF, governo do DF, e outras associações, formando uma grande rede”.

Incapacidade de perceber o caído

Este projeto – continuou dom Paulo – “quer nos tirar da indiferença diante dos pobres, diante dos excluídos. A indiferença nasce sempre da incapacidade de perceber que o caído possui um rosto, uma face, é um ser humano, um ser humano que grita por justiça, que grita por unidade, que grita por reconhecimento”.

“A indiferença representa sempre uma visão antropológica pobre, indigna da grandeza do ser humano criado a imagem e semelhança de Deus. O Partilha Brasília quer encontrar as pessoas em seus sofrimentos através da escuta qualificada, aquelas pessoas que nos encontramos nos semáforos, que nós encontramos pelas ruas na nossa cidade”.

“Ao passar não queremos deixá-las na indiferença queremos sim oferecer alguma para elas. Então cada pessoa que a gente encontrar a gente vai oferecer um cartãozinho onde esta pessoa será conduzida para uma escuta qualificada. E essa escuta qualificada, já ali dará respostas imediatas à questão de alimentação, de vida, de dignidade”.

Sair da situação de pobreza

Mas o projeto quer mais, disse ainda dom Paulo: “o objetivo principal é aquele de ajudar as pessoas através de projetos e parcerias, a sair da situação de pobreza, tornando-se sujeitos da própria história. Queremos acolher a pessoa onde ela está. Escutar sua história, seu sofrimento, seus desafios e oferecer respostas imediatas às suas situações”.

“Mas queremos também encaminhá-la. Encaminhá-la para uma requalificação, encaminhá-la para aquele encaminhamento que a sua história precisa, que a sua história necessita naquele momento”.

O arcebispo de Brasília fez votos de que essa grande união da arquidiocese de Brasília com outras instituições possa fazer a diferença no DF. “Possa ajudar tontos irmãos irmãs que estão vivendo numa condição sub-humana, que estão vivendo a insegurança alimentar, a começarem a viver como filhos e filhas amados por Deus”.

Pontos de atendimento

A primeira ação anunciada pelo projeto é a criação de três pontos de atendimento aos mais pobres. Eles vão ficar no Prédio da Oassab, 601 Sul, no Santuário São Francisco de Assis que fica na 915 Norte e na Paróquia Sagrado Mercês, localizada na 615 Sul. Além disso, serão confeccionados cartões-atendimento, com os endereços dos pontos de atendimento.  O projeto também oferecerá vagas em comunidades terapêuticas para acolher quem necessita desse tipo de suporte especializado, além de ações para atendimento à população em situação de rua. Por fim, ainda será ofertado um programa de microcrédito, por meio do qual, pequenos empréstimos serão concedidos a pequenos empreendedores.

Fonte: Site Vatican News

Veja Também