57ª Assembleia Geral da CNBB é realizada em Aparecida (SP)

0

Teve início nesta quarta-feira, 1º de maio, a 57ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no Santuário de Aparecida (SP), com a Celebração Eucarística pela manhã, no Altar Central.

A Santa Missa foi celebrada pelo Presidente da CNBB e Arcebispo de Brasília, Dom Sergio da Rocha, e concelebrada por Dom Murilo Krieger, vice-presidente, arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, e por Dom Leonardo Steiner, secretário geral e bispo auxiliar de Brasília.

Na celebração estavam presentes mais de 300 membros da CNBB, entre cardeais, arcebispos, bispos, presbíteros, diáconos e milhares de leigos que foram celebrar no Santuário de Aparecida, o Dia do Trabalhador.

O Arcebispo Metropolitano de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, que participa da Assembleia da CNBB, fala sobre o primeiro dia de trabalhos. “No dia de ontem, tivemos muito trabalho. Iniciamos com a declaração do presidente, a respeito dos últimos quatro anos, prestação de contas, um relatório bastante importante com detalhes sobre todo o trabalho realizado nestes últimos quatro anos. Também tivemos análise de conjuntura social e de conjuntura eclesial, recordando, assim, alguns aspectos da vida do povo brasileiro neste último ano e também da caminhada da Igreja no Brasil nesse mesmo período”.

Este ano, a Assembleia Geral tem a tarefa central de atualizar as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (DGAE) da Igreja no Brasil para o quadriênio 2019 a 2023. “Já iniciamos o trabalho de construir as Diretrizes da Ação Evangelizadora do Brasil para os próximos quatro anos. As Diretrizes da Ação Evangelizadora (DGAE) no Brasil são como que uma indicação, uma seta por onde a Igreja no Brasil deve caminhar na unidade do seu episcopado. Ali nós procuramos observar que um aspecto importante da vida da igreja agora é olhar as cidades, por causa da urbanização, a maior parte das pessoas saem da área rural para morar em cidades. As nossas cidades cresceram e a nossa zona rural diminui, e mesmo na zona rural os aspectos urbanos chegam, hoje, pelos meios de comunicação, com muita rapidez, de maneira que nós estamos numa sociedade marcadamente urbana. Por isso, essas diretrizes querem olhar especialmente a cidade como um campo de evangelização”, conta Dom Gil.

O arcebispo ressaltou que a temática tratada nesta Assembleia Geral está em sintonia com o objetivo do II Sínodo da Arquidiocese de Juiz de Fora, “é interessante que as diretrizes para os próximos quatro anos tem o mesmo objetivo de nosso sínodo arquidiocesano, que já estamos preparando. Esse sínodo tem, também, como objetivo analisar a vida da Igreja nas cidades e ver o que nós devemos fazer para melhorar o trabalho da Igreja, aquilo que deve ser corrigido e aquilo que deve ser ainda conservado e melhorado”.

Nesta quinta-feira (2), o segundo dia de trabalho na Assembleia dos Bispos do Brasil, teve início com a celebração da Santa Missa, na Basílica Nacional do Santuário de Aparecida.

A celebração na intenção dos novos bispos, aqueles que foram nomeados e ordenados pelo Papa Francisco desde a última assembleia – período de abril de 2018 a abril de 2019, foi presidida o núncio apostólico no Brasil, dom Giovanni D´Aniello.

A 57ª Assembleia Geral da CNBB também tem como desafio eleger a nova presidência da entidade para o próximo quadriênio. Esta é composta pelo presidente, vice-presidente e secretário-geral. Na ocasião, também serão eleitos os 12 presidentes das Comissões Episcopais Pastorais e o delegado e o suplente junto ao Conselho Episcopal Latino Americano (Celam).

Outros temas prioritários e diversos como reuniões, comunicações, celebrações e retiro integram a pauta da Assembleia. Esta edição prevê, inicialmente, duas mensagens e carta final, sendo uma ao Papa Francisco e outra ao prefeito da Congregação para os Bispos.

A 57ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil segue até 10 de maio.

Fonte: Site da Rádio Catedral JF

Conteúdo Relacionado
X