52ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil – Comunicações da CNBB dos dias 05 e 06 de maio de 2014

dom claudio hummes.jpg.opt593x396o00s593x396
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

*Colaboração: Pe. Frei Flávio Henrique, pmPN

Na segunda-feira, dia 05 de maio de 2014, 6º dia da reunião da Assembleia da Conferência Episcopal do Brasil, em Aparecida do Norte, três assuntos foram apresentados durante a coletiva de imprensa.

O Cardeal Dom Cláudio Hummes falou sobre o Projeto Missão Jovem na Amazônia, que nasceu do Seminário Juventude e Missão, que fora realizado em preparação para a Semana Missionária da JMJ RIO 2013. Trata-se de um fruto concreto da JMJ acontecida no Brasil e uma herança da ação missionária da juventude em favor da região amazônica. São quatro Comissões Episcopais da CNBB que encabeçam esta nova frente de missão: Comissão Episcopal para a Juventude, Comissão Episcopal para Amazônia, Comissão Episcopal para Ação Missionária e Cooperação Intereclesial e Comissão Episcopal Missão Continental. Ainda compõe este grupo de comissões as Pontifícias Obras Missionárias (POM). Várias dioceses se cadastraram para o programa, sendo selecionadas: Roraima, Coari, Borba e Parintins. As inscrições para os jovens interessados serão abertas segunda-feita próxima.

Dom Severino Clasen, Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o laicato da CNBB, ao apresentar a pauta sobre o papel dos leigos na Igreja, acentuou a importância destes como agentes de transformação nas pastorais e na sociedade. Lembrou que deve ser o amor dos leigos pela Pessoa de Jesus Cristo o principal fomento para se buscar caminhos novos e constantes para transformação da sociedade.

A última comunicação da coletiva de ontem ficou por conta de Dom Alberto Taveira, que anunciou a programação oficial do próximo Congresso Eucarístico Nacional, que acontecerá em 2016, na Arquidiocese de Belém, no Pará. O evento celebrará o 4º Centenário da Evangelização na Amazônia, com o Tema: “Eucaristia e partilha na Amazônia Missionária”. O lema do congresso será: “Eles o reconheceram no partir do Pão”. A abertura oficial do Congresso Eucarístico em Belém está prevista para o dia 15 de agosto de 2016.

Na abertura das comunicações do dia 05 de maio, Dom Lara, que Coordena a Mesa, mencionou andamentos dos trabalhos da pauta dos bispos sobre a questão agrária e o Tema Central, que seguem sendo debatidos, encerrando, assim, as comunicações feitas no dia de ontem.

Abrindo a Coletiva de Imprensa na terça-feira, 7º dia da Assembleia dos Bispos, Dom Dimas Lara anunciou os três temas principais das comunicações: os trabalhos da Comissão para Doutrina da Fé, o diálogo ecumênico e a Copa do Mundo.

Dom Sérgio da Rocha, Presidente da Comissão Episcopal para a Doutrina da Fé, anunciou que são esperadas para chegar ainda durante esta Assembleia uma coletânea de textos sobre estudos relacionados à Paróquia segundo o Magistério da Igreja. A Doutrina da Fé articulou uma série de encontros com várias associações de teólogos brasileiros, concluindo que tem crescido o debate teológico no Brasil, bem como o nível das discussões teológicas. Segundo o Presidente, o momento de efervescência pastoral, requer maior aprofundamento do parecer teológico.

Finalizando as comunicações do dia, Dom Anuar Batistti, referencial da Pastoral do Turismo na CNBB, apresentou o projeto da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz: a inserção pastoral da CNBB no contexto da Copa do Mundo. Segundo apontou, a Copa no Brasil enseja, em meio a tantos movimentos de manifestações populares, um campo de missão para que a Igreja marque presença fortalecendo o que chamou de “jogo da vida”. A campanha nacional inclui um folder que foi lançado e distribuído para divulgação da imprensa, cujo tema é: “Copa do Mundo, Dignidade e Paz”. O folder apresenta oito tópicos que, na ótica desta campanha pastoral-social, merecem cartão vermelho, contribuindo com estes alertas para encorpar o debate público. Entre os objetivos desta campanha, encontra-se também o justo e necessário esforço de conscientização da população para que faça valer democraticamente suas manifestações de modo pacífico e ordeiro, repudiando com veemência as formas desordeiras e violentas de manifestações. Almeja a Igreja, no contexto da Copa, segundo concluiu, “disputar a vitória da vida”, celebrando ações de justiça e promovendo a paz. 

 

Veja Também