Seis meses de guerra na Ucrânia: “precisamos de paz!”, clama Papa

Há seis meses, o povo ucraniano sofre com o horror da guerra, lamentou o Papa Francisco, que mais uma vez fez um apelo para que o conflito chegue ao fim. Ao final da catequese desta quarta-feira, 24, o Pontífice frisou as consequências da guerra – mortos, feridos, crianças órfãs, pessoas refugiadas – e pediu a Nossa Senhora o dom da paz.

“Trago no coração os prisioneiros, especialmente aqueles em condições frágeis, e peço às autoridades responsáveis que trabalhem para sua libertação. Penso nas crianças, tantos mortos, tantos refugiados – aqui na Itália há tantos! – tantos feridos, tantas crianças ucranianas e crianças russas que se tornaram órfãs, e a orfandade não tem nacionalidade, perderam o pai ou a mãe, sejam russos, sejam ucranianos”.

O Papa destacou que os inocentes estão pagando a loucura da guerra. “A loucura de todos os lados, porque a guerra é uma loucura”. Ele acrescentou que todos os que se beneficiam com a guerra e com o comércio de armas são criminosos que ameaçam a humanidade.

Para além do conflito na Ucrânia, há guerra em outras partes do mundo, lembrou o Papa, como a Síria (há mais de 10 anos) e o Iêmen. “Mas hoje, de maneira especial, seis meses desde o início da guerra, pensemos na Ucrânia e na Rússia, ambos os países que consagrei ao Imaculado Coração de Maria, que ela, Mãe, olhe para esses dois países amados: olhe para a Ucrânia, olhe para a Rússia, e que Ela nos traga a paz! Precisamos de paz!”.

Relembre, na reportagem abaixo, como foi o Ato de Consagração:

Fonte: Site da Canção Nova

Veja Também