Paróquia São Martinho de Lima, em Óbidos/PA, abre Campanha da Fraternidade 2016

CF CARTAZ
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

*Colaboração: Padre Leonardo Loures
Administrador paroquial da Paróquia São Martinho de Lima

Neste domingo, dia 14 de fevereiro, a Paróquia São Martinho de Lima, da Diocese de Óbidos/PA, realizará a abertura oficial da Campanha da Fraternidade 2016. Este ano a Campanha traz como tema: “Casa comum, nossa responsabilidade”, e o lema: “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Amós 5,24).

A abertura da Campanha da Fraternidade na paróquia, que está sob a responsabilidade da Arquidiocese de Juiz de Fora, será marcada por uma grande caminhada. A concentração será às 17h, em frente ao lixão da comunidade São José Operário. Nesse local, segundo o Padre Leonardo Loures, o lixo é simplesmente empilhado, sem cuidados com a separação de produtos orgânicos e inorgânicos, ou ainda com a reciclagem e o tratamento dos resíduos que podem contaminar solos, rios e aquíferos. A caminhada seguirá até a Igreja Matriz, na Comunidade Santa Terezinha, onde acontecerá a Santa Missa.

Padre Leonardo também denuncia outras situações preocupantes com as quais convivem os habitantes da Região Norte do país e na cidade de Óbidos. “Infelizmente nossa cidade ainda têm muito o que fazer para oferecer às pessoas um ambiente limpo e saudável. Em várias ruas não há saneamento básico e as pessoas convivem com esgoto e lixo a céu aberto na porta de suas casas, sem nenhum tipo de tratamento. Nessas condições, a proliferação de doenças é inevitável”, finaliza.

Confira o restante do depoimento do Padre Leonardo Loures:

“Este é um tema muito forte para nós que moramos no Norte do Brasil, pois temos a pior cobertura de saneamento básico e de acesso à água tratada do país, onde 67% dos domicílios não têm rede de esgoto ou fossas sépticas e 45% não têm rede de água. Hoje, a região da Amazônia Legal conta com baixos índices de desenvolvimento humano. A deficiência no sistema sanitário agrava ainda mais o desenvolvimento das cidades e a qualidade de vida dessas populações.

A cidade de Óbidos, segundo os dados de 2013 do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB), não possui nem 1% de famílias com esgoto tratado, enquanto a média nacional revela 41,9%. Em Óbidos, 87,5% das famílias contam com esgoto por fossa, enquanto a média nacional é de 47,8%. As que têm esgoto a céu aberto representam 12,5% das famílias de nossa cidade, enquanto a média nacional é de 10,3%.

Sobre o abastecimento de água também temos números preocupantes. Apenas 50,4% da população possui rede de abastecimento, a média nacional é de 77,6%. 33,9% de nossa população tem o abastecimento por poço ou nascente, a média nacional é de 18,3%. Além disso 15,8% da população tem outros tipos de abastecimento, enquanto a média nacional é de 4,1%.

Sobre as coletas de lixo, os números não são muito diferentes. Apenas 47% dos domicílios tem coleta de lixo, a média nacional é de 79,6%. 47,7% dos nossos domicílios queimam ou enterram o lixo, a média nacional é de apenas 13,5%. O lixo a céu aberto corresponde a 5,3% de nossos domicílios, a média nacional é de 7%”.

Outras informações:
Assessoria de Comunicação Arquidiocese de Juiz de Fora: (32) 3229-5450

Veja Também