Na Catedral, Arcebispo de Juiz de Fora preside Missa do 1º Domingo do Advento

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

A Igreja iniciou, neste domingo (28), o novo Ano Litúrgico e, com ele, o Tempo do Advento, período de preparação para o Natal do Senhor. A data foi recordada em todas as Missas do dia, com o gesto simbólico do acendimento da primeira vela da coroa do Advento.

Esse círculo de folhagens verdes que enfeita as igrejas nas semanas que antecedem o nascimento de Jesus representa a esperança e a vida. Entrelaçada por uma fita vermelha, símbolo do amor de Deus por nós, a coroa traz em seu centro as quatro velas que serão acesas, uma a cada domingo.

Na Catedral de Juiz de Fora, a Eucaristia das 10h foi presidida pelo Arcebispo Metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, e concelebrada pelo Administrador Paroquial, Padre José de Anchieta Moura Lima. Os diáconos Antônio Valentino e Waldeci Rodrigues serviram ao Altar. “Este é um tempo de expectativa. Constituído de quatro semanas preparatórias para duas coisas: primeiro, para a segunda vinda do Senhor; Ele voltará. Nós devemos estar sempre preparados para isso, e a liturgia de hoje nos ajuda. Depois, também preparar o Natal, grande festa da vinda do Senhor, recordando que Ele nasceu em Belém para nos salvar”, explicou Dom Gil.

No Tempo do Advento, as cores litúrgicas são o roxo e o róseo, sendo este usado apenas no terceiro domingo. O Arcebispo falou sobre o significado de cada uma delas. “Eu digo que o roxo do Advento não é o mesmo da Quaresma. O roxo da Quaresma é o da penitência, da dor, do sofrimento de Cristo. Já o do Advento é o roxo da expectativa; é aquele arroxeado que vemos no horizonte quando o sol está para nascer. Quando chega o terceiro domingo nós usamos o róseo, que já é um passo além do roxo, até chegar a luz: no Natal será todo branco o paramento”, finalizou.

Veja Também