Missa dominical recorda escolas católicas e missão de leigos

0

Cerca de 80 pessoas participaram presencialmente da Missa das 10h, na Catedral Metropolitana, nesse 21º Domingo do Tempo Comum. A Eucaristia, presidida pelo Arcebispo de Juiz de Fora, Dom Gil Antônio Moreira, foi dedicada aos alunos, professores e funcionários das escolas católicas e ainda recordou as vocações leigas, celebradas nesta quarta semana do mês de agosto.

Concelebraram com o Arcebispo o Vigário Episcopal para Educação, Comunicação e Cultura, Padre Antônio Camilo de Paiva, o Administrador Paroquial da Catedral, Padre José de Anchieta Moura Lima, e o Vigário Geral da Arquidiocese, Monsenhor Luiz Carlos de Paula. Os Diáconos Permanentes Antônio Valentino da Silva Neto e Waldeci Rodrigues da Silva serviram ao altar.

Dom Gil deu a Padre Camilo a incumbência de fazer a homilia. Durante sua reflexão, o sacerdote afirmou que ensinar também é uma vocação – não só de professores, mas dos pais. “A compreensão que as ciências da educação têm, juntamente com a Igreja, é que para formar o mundo é necessário formar o homem. E esse processo de formação humana se chama educação. A capacidade e a arte de ensinar, a palavra fácil, do jeito certo, que a pessoa possa entender e assimilar, é uma vocação, é um dom”. O Vigário Episcopal para a Educação ainda ressaltou que “a fé é o algo a mais que a ciência precisa”. “A ciência ilumina o caos e a fé ilumina a ciência. E, deste modo, nós podemos ver O que sabe tudo, Deus, Aquele que é a essência de tudo e a razão, a origem e o fim de todo conhecimento”.

Padre Camilo também falou sobre o Pacto Educativo Global proposto por Papa Francisco. “É preciso que a Igreja, a escola e a família ajudem a fomentar que o grande abismo social é responsabilidade de todos. Se temos alguma pessoa que, porventura, é deseducada, é falta de toda a sociedade. Os vários tecidos da sociedade precisam se alinhar para que possamos educar o homem e a mulher na sua totalidade”. Por fim, o sacerdote apontou o papel da Pastoral da Educação Arquidiocesana. “O trabalho desta pastoral é capacitar os nossos professores e professoras, os nossos diretores, os nossos gestores de escolas, toda a comunidade educativa de uma escola a dar uma resposta, segundo o evangelho, às perguntas fundamentais da sociedade”, finalizou.

O Arcebispo de Juiz de Fora lembrou a celebração anual que reúne as famílias das escolas católicas na Catedral e disse que, em tempos de pandemia, é preciso usar a criatividade. “Nós não queríamos passar o ano sem celebrar esta missa tão importante. Nós temos 11 escolas católicas na cidade e isso é muito importante, porque é o meio que a Igreja tem para colaborar na educação da pessoa humana de forma integral”.

Dom Gil recordou, ainda, a função dos leigos cristãos na sociedade. “Primeiro, ele deve pensar na sua vocação dentro da comunidade, prestar algum serviço à sua paróquia. O segundo ambiente é no serviço, na diversão, onde a Igreja não chega. Ele tem que ser a presença da Igreja lá, sobretudo com seu testemunho de amor a Deus, ao próximo, de fidelidade à palavra de Jesus Cristo”, exortou.

Clique aqui e confira outras fotos da celebração.

Conteúdo Relacionado
X